Gerenciamento de Produção

Felizes com a borracha

 

Produtores de borracha de São Paulo estão satisfeitos com a safra deste ano. Além de a produtividade ser maior, houve aumento no preço da cultura.

As sete mil seringueiras do sítio do agricultor Nilton Troleis devem produzir nesta safra 30 toneladas de borracha. Esse é o resultado da boa produtividade nos seringais do noroeste paulista. Este ano, a produção total de cada pé deve ser até 20% maior do que na safra passada.

As chuvas nos meses de setembro e outubro anteciparam o início do período em que as seringueiras começam a produzir mais. Nesta época, por exemplo, os produtores costumam colher 300 gramas de coágulos por árvore. Mas, com a umidade maior, esta quantidade já dobrou.

Além do clima favorável, o preço anima os produtores. No início de 2009, quando chegou ao setor o reflexo da crise econômica mundial, o quilo do coagulo chegou a valer R$ 1,10, o menor preço nos últimos quatro anos.

Com a retomada das compras pela indústria automobilística, a maior consumidora da matéria-prima, o preço reagiu.

“Nós tivemos uma retomada muito significativa. Então, nós partimos de uma condição em fevereiro desde ano de US$ 1,3 mil a tonelada. Hoje, estamos numa condição de US$ 2,5 mil no mercado internacional. Esse US$ 2,5 mil é um preço acima da média histórica da borracha”, falou Troleis.

O agricultor Paulo Dantas deve colher nesta safra cem toneladas nos 13 mil pés em produção. Ele está satisfeito com os preços e com a possibilidade do aumento do lucro com a cultura. Tanto que já aumentou a área plantada e pretende continuar a expansão. “Tenho algumas em cana que assim que terminar os contratos, a gente vai investir em seringueira também”, planejou.

No Brasil, o preço do quilo do coágulo está saindo por R$ 1,55. São 45% mais que o registrado no mesmo período do ano passado.

Fonte: http://www.seringueira.com/artigos/?p=399