Feijão

Feijão é aposta de fonte de renda na agricultura familiar no ES

Publicado em 07/08/2017

Embora a colheita de feijão em Anchieta, no Sul do Espírito Santo, tenha terminado na semana passada, os produtores da região já começaram a preparar o solo novamente para receber as sementes. O plantio está se mostrando uma boa alternativa de renda para o agricultor familiar.

O agricultor Hamilton Paulo disse que há 50 anos trabalha com feijão, que para ele serve como um complemento de renda. Ele disse, ainda, que em sua propriedade a colheita deste ano foi muito positiva.

“A colheita foi boa. Ao todo foram dois hectares de feijão plantado em consórcio com milho e aipim. Eu decidir plantar esses três produtos com objetivo de aumentar a produção, em um espaço menor”.

Além de Hamilton, outro produtor que está contente com a safra de feijão é o agricultor Derly Marinho, que contou que plantou um hectare na comunidade de São Mateus, em Anchieta. Segundo ele, a cultura é rápida e dá pouco trabalho.

“Quando está com uma semana que nasceu, em um instante nós limpamos a área e depois é só deixar crescer”, ressaltou.

Segundo o técnico agrícola Roliday Ferreira, em pequenas propriedades a plantação de feijão em união com outras culturas está se mostrando uma boa opção de renda.

“Para a agricultura familiar é comum. Percebemos que o produtor tem um resultado satisfatório em uma pequena área. Ele consegue consorciar isso e vai ajudá-lo economicamente. Então é importante levar em consideração o tamanho e tempo de formação de cada cultura”, destacou.

Ainda de acordo com Roliday, o produtor pode realizar até duas colheitas por ano, mas isso só é possível se ele tiver organização. Ou seja, assim que acaba uma colheita tem que preparar a terra para plantar novamente. Por outro lado, um dos empecilhos para estes produtores é o período de chuva, visto que o feijão precisa de chuva na quantidade certa para não sair prejudicado.

A Prefeitura de Anchieta informou que disponibiliza o trator agrícola para o preparo do solo e também o equipamento para o beneficiamento do feijão.

Segundo o Incaper, a previsão é de que a produção de feijão no estado seja de mais de 12 mil toneladas numa área plantada de quase onze mil hectares.

Fonte: G1