Soja

Farelo argentino é preocupação mundial

09/01/2018

“Relatório que recebemos diretamente da Argentina nesta segunda-feira, revela que houve um pico interessante na base de farelo de soja durante a semana passada. Agora, negocia em -5H, melhor nível em mais de um ano”. A informação é do analista da T&F Consultoria Agroeconômica, Luiz Fernando Pacheco.

Ele lembra que a Argentina é a maior exportadora de farelo de soja do mundo, e o acompanhamento da sua produção e fluxo de comercialização interessa principalmente à China, seu maior comprador. Qualquer tropeço na safra argentina afetaria o mercado mundial.

“Desde o início, os diferentes problemas para as entregas de dezembro impediram os esmagadores de trabalhar a um ritmo decente. Houve várias greves e dificuldades de logística. Além disso, alguns trabalhos de manutenção e paradas programadas. As chegadas de caminhão recuperaram-se recentemente, mas foram muito pobres durante o último mês de 2017”, aponta Pacheco.

“Outro fator foram os estoques de grão nas esmagadoras no início de dezembro, que estavam 14% abaixo (ou 300K) no ano passado. Como resultado, o produto não está fluindo como esperado. O esmagamento de soja JAN será provavelmente inferior a 3 MT. A margem de esmagamento está agora em US $ 25, cobrindo os custos totais. Isso está aumentando os preços do FAS e encorajando as vendas dos agricultores, mas não de forma agressiva considerando grandes estoques agrícolas e depreciação da moeda”, comenta o analista da T&F.

De acordo com ele, esta situação pode persistir até a Fevereiro: “Alguns analistas estão marcando o número antigo da safra com menor viés, enquanto outros acreditam que o agricultor é otimista e só venderá entre FEB-MAR para ter espaço para a nova safra. A maioria das estimativas acredita que os estoques serão 7 MMT no final do Março”.

Fonte: Agrolink