Suinos

Falta de bois e queda sazonal em suínos limitam abate no 1º tri

27/06/2012

Único segmento com aumento no volume de abates no período foi o de aves

A falta de bois disponíveis para abate e a queda sazonal no abate de suínos prejudicaram o desempenho desses setores no primeiro trimestre do ano nas Pesquisas Trimestrais do Abate de Animais, do Leite, do Couro e da Produção de Ovos de Galinha, divulgados nesta quarta-feira (27/6) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No 1º trimestre de 2012, foram abatidas 7,219 milhões de cabeças de bovinos, uma queda de 2,0% em relação ao trimestre imediatamente anterior. Já o abate de suínos alcançou 8,744 milhões de cabeças, um recuo de 2,8% no mesmo período.

“Não está havendo muito boi disponível para abate, mas sim uma disponibilidade maior de vacas. Isso ocorre de tempos em tempos pelo próprio ciclo da pecuária. Quando a produção da vaca cai, ela acaba sendo descartada”, explicou Adriana Santos, técnica da Coordenação de Agropecuária do IBGE.

No caso dos suínos, há uma elevação no abate no último trimestre por conta das festas de fim de ano, e uma redução natural no primeiro trimestre. “Mas as exportações também caíram porque há algumas barreiras sanitárias, mas também porque o cenário de crise é adverso para compras externas”, informou Adriana.

O único segmento que registrou aumento no volume de abate foi o de aves, com o abate de 1,363 bilhão de cabeças de frangos, um avanço de 3,2% em relação ao trimestre imediatamente anterior. “Pela acessibilidade de preço, por ser mais barato ao consumidor do que as demais carnes”, avaliou a pesquisadora do IBGE.

Fonte: Agência Estado