biblioteca

Faeg se reúne com Banco do Brasil para discutir crédito rural

Publicado em 04/09/2015

Gerentes regionais se encontraram com presidente da entidade

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), José Mário Schreiner, se reuniu nesta semana com representantes do Banco do Brasil (BB), para discutir o acesso dos produtores ao crédito rural, disponibilizado pelo Governo Federal para melhorar os resultados da produtividade na próxima safra. Estiveram presentes na reunião o vice-presidente institucional da Faeg, Bartolomeu Braz; o gerente de Agronegócios do Banco do Brasil, Giovanni Chaves e o superintendente estadual da entidade, João Batista de Sá Aires. Além disso, diversos gerentes regionais da instituição também puderam conferir de perto as principais demandas da agropecuária goiana.

O encontro aconteceu na superintendência do Banco do Brasil, em Goiânia, e na ocasião, o presidente da Faeg conversou com os gerentes e pediu apoio dos mesmos no que se refere a liberação mais ágil do crédito rural aos produtores. “Vamos fazer um grande desafio para Goiás. O Plano Safra foi difícil de construir. Muitos recursos federais foram cortado, porém o do agro, continuou. Isso representa a força que temos. O Banco do Brasil tem contribuído muito com o nosso setor e, em Goiás, aumentamos os contratos. Vamos fazer um esforço ainda maior para que o crédito chegue em tempo hábil ao produtor rural, para que eles possam fazer o que sabem fazer”, disse. “Precisamos que todos nos empenhemos nisso, a fim de contribuir para o crescimento econômico. Estamos desenhando a próxima Safra e vocês (gerentes), têm um papel fundamental. De antemão quero dizer que fortaleceremos essa parceria, e, vamos reconhecer o gerente que mais contribui com a agricultura. No fim do ano daremos o título “Gerente Amigo do Agro” àquele que mais nos ajudar”, explicou Schreiner.

Mais investimentos à agricultura

Em junho deste ano, a presidente Dilma Rousseff garantiu o investimento de R$ 187,7 bilhões para a próxima safra. Este montante ficará dividido em programas de custeio, comercialização e investimentos. O limite de empréstimo por produtor aumentou e isso se deve ao fato do que o setor agrícola tem tido ótimos resultados, mesmo em tempos de crise econômica. “Mesmo vivendo uma conjuntura de ajustes, fizemos um grande esforço e estamos ampliando em 20% os recursos de créditos para financiar a próxima safra”, declarou a presidente Dilma Rousseff, durante discurso de anúncio do repasse.

Mesmo com a garantia de destinação dos recursos à agricultura, produtores têm reclamado que este investimento não tem, de fato, chegado em suas mãos, devido ao excesso de burocracia que os bancos têm exigido para liberar o dinheiro.

Fonte: Faeg