biblioteca

Exportações do agronegócio caem 25% em abril na comparação com 2015, informa Farsul

Publicado em 09/05/2016

O agronegócio gaúcho exportou US$ 825 milhões em abril. O valor representa uma queda de 25% na comparação com o mesmo mês de 2015. O grupo Complexo Soja é o principal responsável pelo resultado, com uma retração de 38%, cerca de US$ 300 milhões. Em relação ao mês de março de 2016, o setor teve um aumento de 28,4% no valor e 34% no volume comercializado. Os números estão no Relatório de Comércio Exterior do Agronegócio do RS, divulgado pela Assessoria Econômica do Sistema Farsul, nesta segunda-feira, dia 09.

O economista-chefe do Sistema Farsul, Antônio da Luz, explica que a retração nas exportações aconteceu, principalmente, por se ter como referência uma base forte, “2015 foi um ano fora da curva”, afirma. O dólar em alta estimulou as vendas no ano passado e fez com que os estoques ficassem reduzidos. O atraso na entrada da nova safra colaborou para uma menor oferta e, consequentemente, redução nas vendas. Mesmo assim, o agronegócio respondeu por 68% das exportações do Rio Grande do Sul, no último mês.

Apesar da queda, alguns produtos tiveram resultado inverso. É o caso do grupo Fumo e seus Produtos que teve um acréscimo de 38% na comercialização e Produtos Florestais, com um incremento de 91%. Mas de um modo geral, os resultados apontam reduções importantes como a da Carne de Frango (19%), do Milho (100%) e do Trigo (53%).  Na comparação com março de 2016, os números apresentam crescimento expressivo, puxados principalmente pela Soja em Grãos, que cresceu 546% no valor e 530% no volume comercializado.

No acumulado do ano, o agronegócio exportou US$ 2,627, uma redução de 14,8% na comparação com o mesmo período de 2015. A China se mantém como principal compradora do produto gaúcho, aumentando sua participação no Market Share, chegando a 23% no período entre janeiro a abril, com US$ 624 milhões. Em segundo lugar aparece os Estados Unidos com US$ 383 milhões (14,6%), tendo a Argentina logo atrás, com US$ 373 milhões (14,2%). Sobre as importações, a Argentina mantém a primeira posição, com US$ 103 milhões e 37% de participação. Em seguida temos o Uruguai com 22%. Em terceiro lugar aparece o Paraguai com US$ 21 milhões e 7% de participação.

Fonte: Farsul