Soja

Exportações da soja em MT atingem volume 143% maior em fevereiro

18/03/2014

Na última semana a colheita da soja avançou 13,2 p.p., atingindo 84,6% da área total em Mato Grosso. Apesar das chuvas, o atraso em relação ao ano passado foi reduzido para apenas 0,6 p.p. e a produtividade ponderada pela área colhida ficou com média de 53,1 sc/ha no Estado. Das mais de 22,6 milhões de toneladas de soja mato-grossense que se encontram no mercado até o momento, cerca de 1,17 milhão foram escoadas em janeiro e fevereiro.

Apenas em fevereiro o Estado registrou exportações de 1,15 milhão de toneladas, volume recorde para esse período, sendo 143% superior a fevereiro de 2013. As divisas geradas com a oleaginosa no mês de fevereiro também foram recordes para o período, com registros de US$ 574,10 bilhões. Os volumes de exportação de soja, que normalmente começam a ser expressivos a partir de março, começaram mais cedo nesta safra, indicando uma demanda bastante aquecida e uma oportunidade de faturamento, visto que o dólar continua a patamares elevados, próximos a R$ 2,35.

Com os estoques de soja nos Estados Unidos restritos, o Brasil começou a fornecer soja para o mundo em quantidades maiores que as esperadas, abrindo margem para possíveis cancelamentos. Para os próximos meses, quando os volumes de exportações se apresentarem em proporções mais elevadas, fica a expectativa de que o sistema logístico não atrapalhe o escoamento desta safra recorde.

Mercado interno: Os preços praticados no mercado interno mato-grossense apresentaram acentuada queda nesta semana em todos os municípios em que é feito o levantamento, com recuo no preço médio estadual de 4,6% no comparativo entre esta e a sexta-feira anterior.

As cotações da commodity em Chicago foi o fator que mais pressionou os preços para baixo no mercado interno de Mato Grosso, uma vez que a cotação do dólar se manteve praticamente estável em relação ao fechamento da semana anterior. Rondonópolis foi o município que sofreu menor redução no preço pago pela saca da oleaginosa, de apenas 0,6%, cotado a R$ 57,35 na sexta-feira. Em Tangará da Serra e em Sinop o recuo foi de 6,9% e 4,1%, respectivamente. Nestes municípios o preço cotado no fechamento semanal foi de R$ 54,00/sc em Tangará da Serra e R$ 52,00/sc em Sinop.

Mercado futuro: Depois de as cotações de soja para maio/2014 na Bolsa de Chicago apresentarem-se aquecidas na primeira semana de março, devido à grande demanda mundial da soja norte-americana e grande compra de fundos, a segunda semana do mês iniciou-se com forte queda diária de 39 pontos, com o grão cotado a US$ 14,14/bushel. Na quarta-feira, o contrato sofreu nova queda acentuada de 26 pontos, fechando a US$ 13,87/bushel.

O movimento de baixa ocorreu devido à expectativa de possíveis cancelamentos de cargas de soja, principalmente por parte da China, além dos dados do USDA, que vieram fora da expectativa do mercado. Na quinta-feira, o preço reverteu o movimento de queda, encerrando com alta diária de 9,25 pontos, mas ainda assim operando abaixo dos US$ 14,00/bushel. Na sexta-feira, a soja voltou a operar em baixa, com queda diária de 7,75 pontos, encerrando a US$ 13,88/bushel.

Oferta e demanda: O volume de soja esmagada em Mato Grosso em fevereiro de 2014 foi de 625,8 mil toneladas, com remuneração média de R$ 1.217,50 por tonelada esmagada. Este volume mensal é 28% superior ao esmagado no Estado durante o mês anterior e 25% maior do que no mesmo período de 2013. Entretanto a remuneração paga pela tonelada esmagada foi 2% inferior nesse mês em comparação a janeiro, apesar de os preços em Chicago indicarem recuperação nas cotações de farelo e óleo de soja no mercado mundial. Isso se dá em reflexo à maior oferta de soja disponível em fevereiro no mercado interno mato-grossense, que fez os preços pagos pelo farelo e óleo de soja recuarem no Estado.

Exportação por destino: As exportações mato-grossenses de soja em grão em fevereiro, foram recorde histórico para este mês, tiveram como principal destino a China, responsável por 79% dos embarques estaduais da oleaginosa, percentual correspondente ao volume de 911,8 mil toneladas e remuneração de US$ 453 milhões.

Das exportações brasileiras com este mesmo destino, que totalizaram 2,35 milhões de toneladas, 39% foram de soja mato-grossense. O segundo principal destino foi o Reino Unido, com o maior volume já enviado por Mato Grosso para este país, de 103,9 mil toneladas, equivalente a 9% de todas as exportações do Estado nesse mês. O expressivo volume de exportações da soja durante fevereiro é reflexo da demanda mundial aquecida, principalmente por parte da China, que antecipou o escoamento da safra brasileira.

Frete Sorriso à Santos: No início de 2014 as cotações do frete da soja de Sorriso ao Porto de Santos apresentam-se mais elevadas do que o registrado para o mesmo período do ano passado. A partir da última semana de janeiro a colheita do grão foi intensificada no Estado, apresentando avanço semanal de 11,1 p.p., totalizando 21,7% da área colhida até a primeira semana de fevereiro.

Na semana iniciada em 17 de fevereiro o preço pago para o transporte da produção atingiu pico de R$ 330,00/t, visto que na semana anterior registrou-se o avanço semanal máximo de colheita da soja para a safra 13/14, de 14,6 p.p., gerando grande volume de soja no mercado. Com o grande volume de chuvas ocorrido nas semanas seguintes o ritmo dos trabalhos no campo foi reduzido, fazendo com que a demanda por caminhões fosse menos concentrada, e pela primeira vez o preço do frete nesta safra fosse inferior ao da safra 12/13.

Fonte: Agrolink