Custo de Produção

Exportação brasileira de café se mantém acima de 36 milhões de sacas no acumulado dos últimos 12 meses, diz CeCafé

Publicado em 10/11/2015

O volume acumulado das exportações brasileiras de café nos últimos 12 meses se manteve acima de 36 milhões de sacas, segundo apurou o CECAFÉ em seu relatório mensal. No período de novembro de 2014 a outubro de 2015 o país embarcou 36.223.873 de sacas 60 Kg e obteve receita cambial de US$ 6,348 bilhões.

Com relação ao resultado das exportações em outubro de 2015, o desempenho foi 3,9% menor em comparação a outubro de 2014, totalizando 3.215.720 de sacas de 60 Kg e receita de US$ 487.465 mil. Apesar do volume menor na comparação do período, o mês de outubro de 2015 registrou um ligeiro incremento de 2,0% em relação a setembro de2015, destaque ao crescimento de 28% do conilon. Segundo o presidente do CECAFÉ, Nelson Carvalhaes, “o resultado de outubro mantém forte a intenção do Brasil de exportar 36 milhões de sacas no ano civil 2015”.

No período de janeiro a outubro de 2015, o volume acumulado exportado foi de 29.852.943 de sacas de 60 Kg, resultado 0,7% inferior na mesma base comparativa do ano anterior, com receita cambial de US$ 5,078 bilhões. Com a redução na oferta de café robusta vietnamita e de outras origens, as exportações de conilon do Brasil vêm apresentando um expressivo desempenho, com um embarque 48% superior em relação ao ano passado. Com relação à qualidade embarcada no período, o café arábica obteve a participação de 77,5%, o conilon de 12,6%, o solúvel de 9,8% e, o T&M, de 0,1%.

Quanto às exportações de cafés diferenciados, o Brasil continua se mantendo como um dos principais países fornecedores do produto diferenciado, indicando a participação de 25,1% nos embarques de café do país entre janeiro a outubro de 2015, com o volume de 7.500.868 de sacas de 60 Kg, desempenho 10,5% superior em comparação ao mesmo período do ano anterior. Do volume exportado de cafés diferenciados, 23% destinaram-se aos EUA (1.762.388 sacas), 17% para a Alemanha (1.301.273 sacas), 11% para a Itália (791.421 sacas), 10% para o Japão (760.919 sacas) e 8% para Bélgica (631.685 sacas), representando, os cinco maiores importadores, 70% do total embarcado com diferenciação.

No que refere aos mercados de destinos das exportações de café, o Brasil exportou no período para 130 países, destacando-se os EUA com 6.384.676 sacas (21% de participação), Alemanha com 5.325.586 sacas (18%), Itália com 2.477.251 sacas (8%), Bélgica com 1.897.877 sacas (6%) e Japão 1.895.280 sacas (6%), representando, juntos, 60% do volume total embarcado. O Reino Unido e a Turquia, que também estão entre os dez principais mercados de destinos do café do Brasil em 2015, importaram 875.168 sacas e 703.783 sacas, respectivamente, e vêm apresentando expressivas taxas de crescimento médio anual nas compras de café do país desde 2010, com 9,8% e 13,8%, respectivamente.

Além de ampliar os volumes exportados para todos os continentes, com exceção da Europa e da América Central,as exportações brasileiras de café para os países produtores cresceram 12% em comparação ao mesmo período do ano anterior, destacando-se o México com 606.464 sacas (44% do volume destinado aos países produtores), Venezuela com 274.843 (20%) e Indonésia com 200.073 (15%).

No período, o porto de Santos/SP seguiu líder, com 83,9% dos embarques de café do Brasil, com o volume exportado de 25.048.487 de sacas de 60 Kg, acondicionados em 72.227 containers, indicando o crescimento de 36% em comparação ao ano anterior. O Rio de Janeiro/RJ exportou 2.794.119 sacas, acondicionados em 7.839 containers, representando 9,4% de participação do porto nos embarques de café. Em terceiro lugar, com 3,9% de participação, o porto de Vitória/ES embarcou 1.166.033 sacas, acondicionadas em 3.318 containers, demonstrando o crescimento de 35,8% na mesma base comparativa do ano anterior.

Fonte: CeCafé