Gerenciamento de Produção

Exploração da Madeira

A madeira de seringueira tem se tornado uma fonte importante de renda após a exploração do látex da cultura, principalmente na Malásia, onde 70 % da madeira utilizada vem da seringueira, exportando para o Japão para produção de móveis ao preço de US$ 220/m3.

Geralmente, quando a produção de látex em um talhão não é mais economicamente viável, procede-se a derrubada das árvores, seguida do replantio da área.

A madeira remanescente pode ser utilizada como combustível ou celulose, e com o tratamento químico, pode ser utilizada na indústria de móveis e na fabricação de portas, janelas, formas para concreto armado, vigas, colunas, painéis e artigos domésticos com aglomerado de “Flakes”.

As árvores no final da sua vida produtiva apresentam um perímetro médio do caule em torno de 110-100 cm (125 cm acima do solo), sendo aptas para corte aproximadamente 184 árvores/hectare.

De uma árvore obtêm-se 0,62 m3 de madeira proveniente do tronco e cerca de 0,39 m3 provenientes dos ramos laterais, totalizando 1,10 m3/árvore.

Foi observado que em um hectare de seringal com 450 árvores, 200 árvores são aptas para corte, com a produção de 1 m3/árvore, possibilitando a extração de 130-180 toneladas de madeira/ha em um seringal no final do seu ciclo produtivo.

Propriedades

Normalmente a coloração da madeira se assemelha ao branco, às vezes pode apresentar um aspecto marrom claro ou amarelado.

A densidade gira em torno de 560 a 650 kg/m3 e a umidade da madeira recém-cortada é de aproximadamente 60%, podendo ser reduzida para 15% quando seca ao ar, exigindo pelo menos 10 dias de exposição nessas condições.

O grande problema da utilização dos produtos provenientes da madeira de seringueira é a alta susceptibilidade ao ataque de fungos e insetos (besouros e cupins), devido à ausência de cerne na madeira e a um alto teor de amido e açúcares, necessitando, portanto, de um tratamento profilático logo após o corte, em um período menor que 24 horas.

Além disso, problemas de contração da madeira, devido a existência de tração, dificultam a sua utilização.

A ocorrência de tração é natural, e não pode ser evitada, porque suas causas ainda não são muito conhecidas.

Para tentar minimizar esses problemas na madeira recomenda-se proteger o seringal do vento (quebra-ventos), diminuindo as torções dos ramos, troncos e a quebra das árvores.

Fonte: http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/historia-da-borracha/seringueira-5.php