biblioteca

EUA preveem reduzir metas para biocombustíveis em 2014

A Agência de Proteção Ambiental dos EUA (EPA, na sigla em inglês) anunciou nesta terça-feira a manutenção de metas para uso de biocombustíveis em 2013, mas disse que irá usar sua autoridade para reduzir as metas para o próximo ano.

A decisão de reduzir metas para 2014 irá, provavelmente, oferecer alívio para refinarias que enfrentam dificuldades com os crescentes preços dos créditos de combustíveis renováveis, conhecidos como RINs.

Com um atraso de mais de oito meses, a meta final de 2013 foi estabelecida em 16,55 bilhões de galões de biocombustíveis a serem misturados na oferta de gasolina e diesel do país, um aumento ante os 15,2 bilhões de galões do ano passado.

No entanto, a agência deu fôlego às refinarias: elas terão quatro meses adicionais para aderir às metas de 2013, com o prazo final ampliado para 30 de junho de 2014.

O programa de combustíveis renováveis dos EUA, que foi atualizado pela última vez em 2007, tem sido acompanhado de perto à medida que o país aproxima-se a chamada “muralha da mistura”, o ponto em que a legislação exigirá o uso de mais etanol do que pode ser fisicamente misturado à gasolina, a 10 por cento por galão.

A lei exige que o uso de combustíveis renováveis cresce anualmente até 2022. A atual meta para 2014 é 18,15 bilhões de galões, chegando a 36 bilhões em 2022.

A “muralhada da mistura” deve ser atingida em 2014, disse a agência.

A EPA disse que pretende “usar flexibilidades” nas definições sobre combustíveis renováveis, reduzindo as metas para 2014. Estes volumes devem ser divulgados em setembro, de acordo com a página da EPA na internet.

Depois de avaliar a produção de biocombustíveis avançados e as restrições do mercado para 2014, a agência disse que irá “então propor a definição de exigências de volumes que sejam factíveis sob a luz dessas considerações”.

A volatilidade do mercado secundário de RINs sugeriu que os operadores não sentiram grande alívio com a sinalização de que a EPA iria afrouxar as exigências para o próximo ano. Depois de cair quase 20 por cento mais cedo no dia, os preços dos RINs de etanol para 2013 recuperaram perdas após as declarações da EPA, sendo negociados a 0,89 dólar ante 1 dólar no dia anterior.

(Por Ayesha Rasco)

 

Fonte: Reuters