Soja

EUA aumentará mais área de soja que milho

23/01/2018

Enquanto os produtores americanos não estão ainda decididos para fazer mudanças de superfície de soja e milho em 2018, mas eles já planejam aumentar área de cultivos que pagaram melhor que as duas commodities em 2017, segundo uma pesquisa de intenções de plantio do site Farm Futures.

Os produtores afirmaram que desejam plantar mais soja que milho pela primeira vez desde 1983, quando o fim de um programa governamental puxou a redução da superfície de milho. Mas naquela ocasião a diferença não foi tão significativa, apenas 35 mil acres. Os produtores planejam semear aproximadamente 90,1 milhões de acres para ambos cultivos, pouca diferença em relação a 2017.

A pesquisa com 925 produtores em todo o país demonstrou que os produtores plantarão 11,8 milhões de acres de trigo de primavera, 6,7% a mais que 2017.  Mas a produtividade de trigo de primavera deve baixar devido à seca, colocando os preços de variedades de alta proteína muito mais altos. Os futuros em Minneapolis ainda trazer um prêmio para o trigo de inverno, que atraiu tanto plantio quanto o ano passado, segundo o primeiro relatório do USDA de 12 de Janeiro. Isso pode levar a uma área total de trigo de 46,8 milhões de acres, cerca de 1,8% a mais que em 2017.

No caso da primeira pesquisa sobre as intenções de 2018, realizada pelo Farm Futures em agosto, os produtores queriam aumentar a área de milho e cortar a de soja, enquanto que aumentariam mais a área de trigo. Mas a relação com os preços mudou substancialmente nos últimos quatro meses.

Produtores no Sul e no Oeste também planejaram aumentar a área de algodão nesta primavera a 13,3 milhões de acres ou 5% a mais. O algodão foi um dos poucos cultivos destaque em 2017. Altas exportações e maior demanda doméstica aumentaram os preços, fazendo da fibra uma alternativa atraente.

Outro cultivo popular em estados do Oeste poderia atrair mais acres nesta primavera. Os produtores colocariam 5,8 milhões de acres de sorgo em 2018, sendo 2.4% a mais que em 2017. Enquanto os preços de alimento balanceado seguem baixos, é um cultivo mais tolerante a esca que milho ou soja e parte das Planícies do Sul já estão secas. Além disso, o cultivo escapou das restrições de importação da China, como acontece no milho ou na soja.

“Com certeza, todos esses planos são sujeitos a mudanças de preços e ao clima. A soja mostra uma vantagem em relação ao milho na média de lucro por acres, apesar de que os dois cultivos geram perdas hoje em dia na ponta do lápis”, afirmou o analista de mercados futuros Bryce Knorr.

Fonte: Agrolink