Variedades

Estudo quer viabilizar produção de trigo sequeiro no Cerrado

Para o Brasil chegar à autossuficiência na produção de trigo, uma das alternativas é o plantio no Cerrado. Especializada no cultivo irrigado, a região ainda explora pouco a triticultura em condições de sequeiro, considerada arriscada pelo produtor. Pesquisas em andamento na Embrapa Cerrados – Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) – buscam a solução para os principais fatores limitantes desse cultivo.

Um dos problemas enfrentados pela produção de trigo sequeiro é a ocorrência de períodos de estiagem na época do plantio (janeiro e fevereiro) – os chamados veranicos – e também no período de enchimento de grãos, por volta de abril, no final do período chuvoso. Como são recorrentes esses fatores na época de cultivo, a produção pode ficar comprometida. Segundo o pesquisador da Embrapa Cerrados, Walter Quadros, a busca é por variedades tolerantes à seca.

“Selecionamos plantas com raízes mais profundas e alguns mecanismos fisiológicos para não perder muita água pela transpiração”, explica o estudioso. Para chegar a uma variedade de trigo tolerante à seca, os experimentos estão plantados no campo nesta época durante o período em que não há chuvas na região. Neles a irrigação não é uniforme, atinge mais algumas plantas do que outras. Assim é possível avaliar o desempenho das plantas diante desse problema de estresse hídrico.
Brusone – outra dificuldade que o produtor de trigo em sequeiro enfrenta é a brusone (imagem ao lado), principal doença que afeta a cultura na região do bioma Cerrado e é causada pelo fungo Magnaporthe grisea. “Durante todo o período de cultivo, a temperatura é alta e há umidade, o que favorece o surgimento do problema. Além disso, para o plantio de trigo safrinha se tornar vantajoso do ponto de vista econômico, é preciso diminuir a aplicação de fungicidas”, explica o pesquisador da Embrapa Cerrados, Alexei Dianese. Em resposta a essa dificuldade, os experimentos conduzidos pela Unidade, dentro do projeto “Brusone do Trigo: estudo da interação planta-patógeno”, liderado pela pesquisadora Gisele Torres (Embrapa Trigo), visam ao teste e à seleção de cultivares resistentes à doença.

Trigo e soja – como é um cultivo de safrinha, a época do plantio do trigo depende muito do final da cultura de verão. Um dos estudos realizados pela Embrapa Cerrados avaliou que o plantio antecipado favorece melhores produtividades. Walter Quadros explica que foram testadas diferentes variedades e genótipos. As lavouras plantadas em janeiro produziram mais de três toneladas por hectare, enquanto as plantadas em fevereiro renderam pouco mais de uma tonelada, devido à redução de precipitação.

Para a antecipação do cultivo de trigo, conforme recomenda o pesquisador, é necessário que o produtor opte por uma cultura de verão precoce. De acordo com o pesquisador Sebastião Pedro, coordenador do programa de soja da Embrapa Cerrados, uma boa opção é a soja superprecoce, a ser lançada pela Unidade nas próximas safras. O ciclo dessa nova opção será cerca de 30% menor que o das variedades atuais, ou seja, de 90 a 100 dias.

Com uma média de 1,5 a duas toneladas por hectare, a produtividade do trigo cultivado em sequeiro é bem menor do que a do irrigado, com média de 4,5 toneladas por hectare. A vantagem reside no custo, que também é menor já que não há investimento em irrigação. A área potencial para esse cultivo também é muito alta, pode chegar a quatro milhões de hectares na região do Cerrado.

Fonte: http://www.midianews.com.br/?pg=noticias&cat=6&idnot=59541