Defensivos

Estudo desmistifica uso de defensivos no Brasil

06/07/2017

“Muito se apregoa que o Brasil é o maior consumidor mundial de agrotóxicos, mas isso não é uma verdade absoluta. Um dos grandes ganhos desse trabalho da Câmara Temática (CTIA) foi analisar não o quanto o Brasil gasta por ano, em dólares, com defensivos, mas a eficácia desse uso, na relação entre a produção de alimento por quantidade de produto aplicado”. A afirmação é do presidente da Abrapa, Arlindo Moura.

Segundo dados levantados pela CTIA, o Brasil é o país que produz mais quilos de alimentos para cada Dólar investido em defensivos. São 142 Kg, contra 116 Kg na Argentina, 94 Kg nos Estados Unidos, 62 Kg na União Europeia e 8Kg no Japão. O estudo embasou a formulação de 12 medidas para modernizar a regulação dos defensivos agrícolas no Brasil (clique para saber mais).

De acordo com Moura, se for analisada a escala produtiva dos brasileiros, “o quadro muda completamente, e países como Holanda, Japão, Bélgica, França e Inglaterra, nessa ordem, são maiores consumidores [de agroquímicos] que o Brasil”. Segundo o dirigente, um dos entraves à modernização do processo de registro de defensivos agrícolas no país é o desconhecimento do tema e a propagação de informações sem embasamento científico.

“É preciso ainda levar em consideração que somos um país de clima temperado, propício ao surgimento de diversas doenças e pragas. Não temos neve quebrando, por meses, o ciclo reprodutivo das pragas, e os transgênicos, que reduzem em muito o uso de defensivos por safra, são advento recente aqui. Simplesmente dizer que o Brasil é o maior consumidor mundial de agrotóxico é difundir um preconceito, e isso nunca é bom”, conclui o presidente da Abrapa.

Fonte: Agrolink