Pesca

Espécie de Água Salgada – Olho-de-boi

Nome Popular Olho-de-boi/Greater Amberjack
Nome Científico Seriola lalandi
Família Carangidae
Distribuição Geográfica Regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Sul (do Amapá a Santa Catarina).
Descrição Peixe de escamas; corpo alongado, robusto e um pouco comprimido; pedúnculo caudal com quilha dérmica. A coloração é prateada, azul esverdeado escuro, clareando nos flancos e no ventre. A principal característica é uma faixa escura que se estende da maxila superior, passando pelo olho e alcançando a base da nadadeira dorsal. O olho-de-boi alcança 1,7m de comprimento total e 80kg. Também conhecido como Seriola dumerili.
Ecologia Peixe pelágico; vive em cardumes pequenos e freqüenta principalmente as águas agitadas dos costões rochosos e recifes. Os adultos são solitários ou formam pares. Alimenta-se de peixes, lulas e crustáceos. É um peixe de passagem e um grande nadador. Na família, é a espécie preferida pelos pescadores esportivos, porque luta bravamente quando capturada. Também tem grande valor comercial.
Equipamentos Equipamento médio/pesado a pesado. A carretilha é mais apropriada, porque esse peixe briga muito levando vários metros de linha, que deve ser de monofilamento de 20 a 50 lb. Os anzóis devem ser de fortes de n° 5/0 a 10/0.
Iscas As melhores iscas são as naturais, principalmente sardinha. Outros peixes inteiros ou em filés também dão bons resultados. Entre as iscas artificiais, as melhores são os jigs, os plugs de meia água e, às vezes, os de superfície. Colheres e ziguezagues também são usados com sucesso.
Dicas Após a captura de um indivíduo, é muito comum a captura de outros porque o cardume geralmente permanece algum tempo na área de captura. Quando fisgado a tendência é levar a isca para o fundo.

 

Fonte: http://www.criareplantar.com.br/aquicultura/lerTexto.php?categoria=51&id=528