Pesca

Espécie de Água Salgada – Dourado-do-mar

Nome Popular Dourado-do-mar/Dolphin
Nome Científico Coryphaena hippurus
Família Coryphaenidae
Distribuição Geográfica Regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Sul (do Amapá a Santa Catarina).
Descrição É um peixe bastante peculiar, tanto pela forma do corpo quanto pelo colorido. O corpo é alongado e comprimido, mais alto na região da cabeça, afinando em direção à nadadeira caudal, que é furcada. A principal característica é a longa nadadeira dorsal, que se estende da cabeça à cauda, com cerca de 60 raios. A coloração do dorso é azul ou verde azulado iridescente, os flancos são dourados e salpicados com pintas claras e escuras e o ventre é prateado. A nadadeira dorsal é azul forte, a anal é dourada ou prateada e as outras nadadeiras são douradas ou prateadas, com a margem azul. Alcança 2m de comprimento total e 40kg.
Ecologia Existem duas espécies conhecidas como dourado, ambas com ampla distribuição geográfica. C. hippurus é a espécie encontrada no Brasil. Espécie migradora, vive em cardumes no alto mar, sendo que os jovens costumam ficar próximos à costa, onde a espécie se reproduz. Alimenta-se de lulas e pequenos peixes (sardinhas, parati, farnangaio). É um peixe extremamente rápido que dá saltos espetaculares e briga bastante. Os cardumes costumam acompanhar grandes objetos à deriva, às vezes o próprio barco. Entre os meses de outubro e março, os dourados ficam mais próximos da costa brasileira, acompanhando a corrente do Brasil. É muito procurado tanto pelos pescadores esportivos quanto comerciais.
Equipamentos Equipamento médio/pesado; linhas 12 a 25 lb.; anzóis de n° 2/0 a 6/0, não sendo necessário o uso de encastoado. A chumbada não pode ser muito pesada.
Iscas Iscas artificiais: plugs de meia água, poppers, lulas e colheres são as mais utilizadas tanto na modalidade de arremesso quanto no corrico. Sardinhas e lulas são as iscas naturais mais usadas.
Dicas Nos meses de janeiro/fevereiro pode ser encontrado mais perto dos costões. Uma forma de manter os peixes próximos da embarcação é deixar o primeiro exemplar capturado dentro da água.

Fonte: http://www.criareplantar.com.br/aquicultura/lerTexto.php?categoria=51&id=521