biblioteca

Escoamento de grão terá investimento de R$ 1,5 bi com concessões

Publicado em 11/01/2016

Projetos que beneficiarão o setor portuário e a área da saúde foram formalizados, na tarde desta quinta-feira (07.01), no auditório do edifício sede do Banco da Amazônia, em Belém. O acordo foi firmado pelo Ministério da Integração Nacional e Banco da Amazônia junto às empresas Hidrovias do Brasil e Hospital Beneficente Portuguesa.

O primeiro contrato, firmado com Hidrovias do Brasil, consiste na viabilização do Projeto Corredor Norte de Exportação, empreendimento que implantará um sistema de escoamento da produção de grãos, utilizando as bacias hidrográficas da Amazônia. O projeto será instalado em Miritituba, no município de Itaituba; e Vila do Conde, que fica em Barcarena. Serão investidos R$ 1,5 bilhão no projeto. O Banco da Amazônia aportará recursos na ordem de R$ 189 milhões, do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO).

Estiveram presentes na formalização dos contratos o ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, e o ministro da Secretaria de Portos da Presidência da República, Helder Barbalho, entre outras autoridades. “O setor portuário do Pará ganha cada vez mais importância e assume o protagonismo, fazendo com que o nosso Estado se transforme em ponto estratégico para o escoamento da produção nacional”, pontuou o ministro Helder Barbalho.

Crescimento

Segundo ele, no ano passado os portos no Brasil cresceram 4,8%. Para Helder Barbalho, o projeto abre oportunidades de negócios, novos empregos e ampliação da capacidade de produção no Estado, além de garantir competitividade e diminuição de custos.

O segundo projeto formalizado nesta quinta-feira (07.01) beneficia o Hospital Beneficente Portuguesa, com investimento de cerca de R$ 145 milhões para a ampliação do número de leitos. Atuando com com 277 leitos e 12 salas de cirurgia, o hospital passará a ter mais 300 leitos, outros 240 para pacientes de hemodiálise e 40 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), além de 392 vagas de estacionamento.

O projeto vai gerar ainda cerca de 1.150 novos empregos diretos nas atividades hospitalares, além de mais mil novas vagas nos serviços terceirizados, como os de limpeza e segurança. “Com esse investimento o Pará vai se destacar, uma vez que o projeto visa praticamente dobrar a capacidade de leitos no hospital”, ressaltou o ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi.

Leia a notícia na íntegra no site Portos e Navios.

Fonte: SEP