Curiosidades

Enquanto o Rio Grande do Sul derrete em água, produtores da faixa central do Brasil imploram por chuvas

Publicado em 08/10/2015

 

Uma nova frente fria que avança sobre o Rio Grande do Sul provoca, nessa manhã de quinta-feira chuvas torrenciais. Em muitos municípios os volumes de chuvas previstos só para hoje deverá ultrapassar a média do mês. Com isso, todos os trabalhos de campo, como plantio, colheita e demais tratos culturais estão totalmente inviáveis, sendo que os produtores só deverão retornar a essas atividades na semana do dia 18/10, já que há previsões de mais chuvas para esses próximos 10 dias em todo o Estado. Para o arroz a situação é ainda mais complicada, pois como são áreas “alagadas” a tendência é que os produtores só voltem a plantar após o dia 20/10. Essas chuvas poderão trazer prejuízos também para a cultura do trigo, já que mais de 20% das lavouras já se encontram aptas à colheita.

E aos poucos esse sistema irá avançar sobre os demais Estados da região Sul onde também irá provocar chuvas, já na tarde dessa quinta-feira, incluindo também a região sul do Mato Grosso do Sul. Contudo, os grandes volumes irão ficar mesmo sobre o Rio Grande do Sul. E há previsão de que na tarde dessa sexta-feira, ou seja, amanhã, esse sistema chegue ao Sudeste, onde provocará chuvas sobre São Paulo, todo o restante do Mato Grosso do Sul e sobre o mato Grosso. E ao longo do final de semana há previsões para pancadas de chuvas sobre grande parte do Sudeste, Centro-oeste, incluindo Rondônia e Sul. O tempo só deverá permanecer aberto e sem previsões para chuvas na região do MAPITOBA.

Com isso, produtores de soja do Paraná e do Mato Grosso do Sul continuarão com o plantio nesses próximos dias já que há previsões de chuvas ao longo desses próximos dias e consequentemente as condições ao desenvolvimento não só da soja, mas também das demais culturas serão beneficiadas. Já em Goiás e no Mato Grosso, a preocupação ainda continua grande, pois, mesmo com a ocorrência de chuvas nessa semana em grande parte do Mato Grosso, a previsão, daqui pra frente, de chuvas apenas na forma de pancadas e, principalmente, irregulares poderá levar a atrasos no plantio. O mesmo irá ocorrer em Goiás, onde a previsão é ainda mais de pancadas de chuvas irregulares e em sua maioria das vezes, bem irregulares.

Por outro lado, essas chuvas poderão atrapalhar o andamento da colheita da cana de açúcar em várias regiões produtoras do Mato Grosso do Sul, São Paulo e Paraná. Em Minas Gerais e em Goiás, como ocorrerá apenas pancadas de chuvas a tendência é que ocorra apenas paralisações momentâneas. Para os cafezais das regiões do cerrado e da zona da mata mineira, as condições continuarão também complicadas, pois além da ausência de chuvas regulares e em bons volumes, temperaturas mais elevadas manterão as condições desfavoráveis ao desenvolvimento da planta e dos grãos de café.

Alerta Agroclimático - 08 outubro 2015

Por: Marco Antônio dos Santos, agrometeorologista da Somar
Fonte: Somar Meteorologista