Pecuária

Embrapa Pecuária Sul discute o manejo de animais e de pastagens

15/10/13
Durante os dias 9 e 10 de outubro, a Embrapa Pecuária Sul e a Emater realizaram, em Chiapetta, noroeste do Rio Grande do Sul, cursos de capacitação e uma série de atividades para agricultores familiares que fazem parte do Programa Rede Leite.  O encontro contou com a presença de vários pesquisadores e técnicos, que discutiram temas como manejo de pastagens e manejo nutricional e sanitário para o rebanho leiteiro. O resultado final foi a troca de conhecimentos entre produtores e técnicos, um dos alicerces do Programa.

Como estamos no período de plantio de pastagens de verão para a alimentação dos animais na estação quente, a pesquisadora Márcia Silveira, da área de Forrageiras da Embrapa de Bagé, falou aos produtores sobre as forrageiras perenes e anuais de verão e os cuidados na implantação da pastagem, como dessecação, controle de plantas invasoras, densidade de semeaduras e as adubações que normalmente são feitas na implantação e manutenção destas pastagens.

Também foram abordadas questões relacionadas a manejo do pasto mediante relatos dos produtores. “De acordo com o que os produtores nos falaram, ressaltamos critérios para se manejar a pastagem perene (Tifton) no final do verão-início do outono, baseados em manejo flexível de altura, com intuito de garantir boa produção da pastagem de inverno implantada na mesma área do Tifton, bem com ter uma boa rebrotação do Tifton na primavera subsequente”, explicou a pesquisadora.

“A troca de informações com o produtor, em relação à época de plantio, e como manejar foi uma atividade benéfica para ambos. O fato do produtor fazer experiências em suas propriedades, fez com que surgissem demandas que foram esclarecidas por nós, e isso foi muito importante, pois, a realidade do produtor atrelada ao conhecimento técnico, só traz benefícios para o meio rural”, enfatizou a pesquisadora.

Na oportunidade os participantes também puderam saber mais sobre a importância da qualidade de sementes forrageiras para obtenção de alimento de qualidade para o gado. “Nos preocupamos em transmitir ao produtor conhecimentos que se referem ao processo de compra de sementes de boa qualidade”, explicou Gustavo Martins, pesquisador da área de forrageiras da Embrapa Pecuária Sul.

O pesquisador instruiu os produtores em como identificar uma boa semente para o plantio, baseado em quatro atributos importantes. “O primeiro deles se refere à qualidade genética das novas cultivares que estão surgindo, e que devem ser adequadas ao sistema utilizado na propriedade. Há também a qualidade fisiológica, que esta relacionada à germinação, ao rigor das sementes e ao ambiente em que será exposta. Por último, há a qualidade física, que diz respeito à pureza da cultivar e a qualidade sanitária. “É muito importante uma boa relação com o vendedor. Sempre o produtor deve exigir a certificação ou termo de conformidade do material que está sendo adquirido, para garantir um bom estabelecimento da pastagem”, frisou o pesquisador.

Noções gerais sobre manejo nutricional e sanitário em bovinos de leite também foram tema nas discussões. As pesquisadoras Renata Suñe, da área de bovinocultura leiteira, e Emanuelle Gaspar, da área de Sanidade Animal abordaram questões de higiene, cuidados com os terneiros, com a vacinação e demais medicamentos. No dia seguinte, aproveitaram para juntar a teoria à pratica,  por meio de uma visita técnica ao local de ordenha de uma das propriedades. Lá foram abordadas questões de manejo sanitário visando evitar a contaminação do leite.

Segundo Renata Suñe, o evento contribuiu para o entendimento sobre os eventos que ocorrem no processo de lactação dos animais, para que o produtor possa alimentá-los com as melhores opções nutricionais. “A alimentação não deve ser a mesma desde o inicio até o final da lactação, pois as exigências dos animais são diferentes. O importante é ajudarmos o produtor a discernir sobre a realidade dos animais e torná-lo autônomo na hora de tomar as decisões, permitindo decidir corretamente quais alimentos utilizar em dependência da fase de lactação dos animais e de seu nível de produção”, explica Suñé.

Ao final do encontro, técnicos da Emater e pesquisadores da Embrapa realizaram com os produtores uma caminhada orientada em uma propriedade, tendo como tema principal a produção para subsistência. O objetivo dessa atividade foi refletir com o grupo de produtores sobre o que se consome e o que pode vir a ser produzido pelas famílias participantes do Programa Rede Leite. O intuito é encaminhar ações que viabilizem a linha de produção destes produtos, proporcionando mais qualidade na alimentação destas famílias.

Fonte: Agrolink