Milho

Embrapa Milho e Sorgo desenvolve ações dentro do Brasil sem Miséria

27/11/12
O Brasil tem, de acordo com o governo federal, 16,2 milhões de pessoas vivendo em situação de extrema pobreza. Para chegar a elas, levando informação e acesso a serviços públicos essenciais, foi criado o Plano Brasil sem Miséria. Segundo o site do plano, o objetivo é “elevar a renda e as condições de bem-estar da população. As famílias extremamente pobres que ainda não são atendidas serão localizadas e incluídas de forma integrada nos mais diversos programas de acordo com as suas necessidades”.

E para colocá-lo em prática, várias parcerias são necessárias e estão ocorrendo. Os três níveis de governo (federal, estadual e municipal) são essenciais neste esforço de diminuir a quantidade de pessoas que vivem praticamente à mercê dos próprios direitos. Instituições como o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) e a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) estão entre elas. Assim como a Embrapa.

Cabe à Embrapa selecionar e distribuir sementes de milho, feijão e hortaliças, capacitar agentes de Aters (Assistência Técnica e Extensão Rural), além de disponibilizar materiais como cartilhas, minibibliotecas e o programa de rádio Prosa Rural. A empresa está atuando em 13 territórios de ação do Brasil sem Miséria: Agreste Alagoano (AL); Alto Sertão (SE); Borborema (PB); Vale do Guaribas (PI); Inhamuns Crateús e Cariri (CE); Alto Oeste (RN); Araripe (PE); Baixo Parnaíba e Cocais (MA); Velho Chico e Irecê (BA); e Serra Geral (MG). Ou seja, a empresa colabora com o Brasil sem Miséria nos nove estados do Nordeste, área considerada prioritária pelo plano, e na região Norte mineira, que tem características muito parecidas com as nordestinas.

Em cada um dos territórios acima, uma Unidade da Embrapa está responsável pela coordenação dos trabalhos. No território de Serra Geral, em Minas, a Embrapa Milho e Sorgo está à frente do projeto RedeGeral. Buscando atender às demandas locais, a participação da empresa envolve várias Unidades, com diferentes produtos e serviços. O coordenador das ações da Embrapa no território Serra Geral do Brasil sem Miséria é o agrônomo Fredson Ferreira Chaves, da área de transferência de tecnologias da Embrapa Milho e Sorgo.

De acordo com ele, as ações que estão sendo desenvolvidas são: “capacitação de técnicos e agricultores multiplicadores em tecnologias e processos de acordo com as demandas do público-alvo; implantação de Unidades de Aprendizagem, que são modelos pedagógicos para construção coletiva de conhecimentos para validação, demonstração e transferência de tecnologias a partir do diálogo entre agricultores, extensão e pesquisa; elaboração de projetos produtivos, com monitoramento e assistência técnica aos agricultores; distribuição de publicações e de minibibliotecas; e levantamento dos impactos sociais, econômicos e ambientais, de acordo com a percepção das comunidades”.

Fredson ressalta a importância dos trabalhos na região, dizendo que “o conjunto de ações do RedeGeral, juntamente com outras ações em curso do Plano Brasil sem Miséria Rural, como o projeto produtivo de fomento, possibilitará a estas famílias rurais acesso a informações e a conhecimentos que poderão ser utilizados por elas para melhorar sua qualidade de vida no campo”. Ao todo, 17 municípios mineiros estão recebendo ações do projeto. Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), existem no território de Serra Geral quase 24.000 pessoas morando em situação de extrema pobreza no meio rural.

Parcerias e blog – As ações da Embrapa no RedeGeral contam com as parcerias do CAA (Centro de Agricultura Alternativa), da Emater-MG (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais), da Unimontes (Universidade Estadual de Montes Claros), da Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba), da Epamig (Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais). No blog Embrapa no Plano Brasil sem Miséria, há informações sobre o andamento das ações.