Milho

Emater/RS inicia campanha para controle biológico de lagartas do milho

28/08/13
Técnicos da Emater/RS-Ascar da região do Alto Uruguai aprofundam conhecimento sobre o controle biológico de lagartas do milho. A capacitação foi ministrada pelo assistente técnico estadual da Emater/RS-Ascar, Alencar Paulo Rugeri, no Centro de Treinamento de Agricultores de Erechim – Cetre, na terça-feira (27/8). O controle biológico será com aplicação da vespa Trichogramma, uma vespa minúscula que parasita o ovo da lagarta e é uma alternativa sustentável para o controle da praga. “É uma ação de alta tecnologia”, afirma. Rugeri explica que o controle biológico é realizado por monitoramento através de armadilhas com feramoneo, para captura das mariposas da lagarta, ou ainda por meio de aplicação preventiva (sete a dez dias de germinação).

Na região do Alto Uruguai serão distribuídas 100 mil vespinhas por hectare, com distância quadricular (400m2). Segundo ele, o controle pode alcançar 90%. A Emater/RS-Ascar vai proporcionar a distribuição das cartelas contendo os ovos do agente biológico e fará o acompanhamento nas propriedades onde o sistema de controle for implantado.

A ação e faz parte da campanha que a Instituição está realizando com o objetivo de disponibilizar armadilhas para o monitoramento e controle de lagartas em 15 mil hectares de milho no Estado. Também conta com a parceria da Embrapa.

Para o gerente regional adjunto de Erechim, Paulo Trierveiler, esta é uma “campanha econômica, social e ambiental”. Além das culturas do milho e da soja, ele observa que o tomate, entre outras hortaliças, parasitado por pragas, pode ser utilizado o mesmo controle biológico, apresentando eficiência no controle da lagarta-do-cartucho. A campanha deve envolver técnicos, produtores, entre outras parcerias.

Fonte: Agrolink