Soja

Em dia volátil, soja volta a realizar lucros e tem baixas de dois dígitos

A volatilidade está marcando o pregão regular desta quarta-feira na Bolsa de Chicago no mercado da soja. Os futuros da oleaginosa iniciaram oos negócios em baixa, mas logo passaram para o território misto. Em seguida, os principais vencimentos já trabalhavam do lado positivo da tabela, só que novamente recuam.
Por volta das 14h36 (horário de Brasília), os contratos mais próximos registravam baixas de 5,50 a 10 pontos, com o novembro operando com as perdas mais expressivas.
Por um lado, os movimentos de realizações de lucros ainda continuam presentes no mercado com o objetivo de estimularem uma correção dos preços. No entanto, os fundamentos seguem positivos e ainda dando alguma direção aos negócios e suporte aos preços. O bom desenvolvimento do plantio da oleaginosa nos EUA também pressiona as cotações na sessão de hoje.
Ainda sobre cenário fundamental favorável, a demanda pela soja norte-americana permanece aquecida. Hoje, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) voltou a reportar vendas, neste caso, de 204 mil toneladas a destinos não reveladas com entrega para safra 2012/13.
O milho continua recuando, porém, ampliou suas baixas e registra perdas de dois dígitos nos contratos mais próximos. Vendas especulativas em função do bom andamento da produção nos EUA pressiona o mercado nesta quarta-feira.
As condições climáticas favoráveis nos Estados Unidos também estimulam o plantio do cereal e devem garantir uma boa produtividade para o ciclo 2012/13, podendo vir a confirmar uma super safra nesta temporada nos EUA. Este cenário acaba provocando um movimento de vendas especulativas entre os traders, o que impacta em uma baixa das cotações entre os futuros dos grãos.
O que limita o recuo dos preços é o anúncio feito pelo USDA da venda de 130 mil toneladas de milho para destinos não revelados e que serão entregues na safra 2012/13.
Paralelamente, o dia negativo também para o petróleo, para os metais e para algumas bolsas de valores também refletem no mercado internacional de grãos, contribuindo para as quedas.

Fonte: Notícias Agrícolas // Carla Mendes
http://www.noticiasagricolas.com.br