Efeito do tempo de embebição em água e remoção da carúncula na germinação de sementes de mamona (Ricinus communis L)

Conduziram-se dois ensaios testando-se o efeito da remoção da carúncula e quatro tempos de embebição em água (0, 4, 8 e 12h) em sementes com um ou dez meses de idade. Os ensaios foram realizados com sementes da cultivar BRS-Nordestina. As sementes foram dispostas em bandejas contendo areia esterilizada (20 por bandeja). No primeiro ensaio as avaliações foram realizadas aos 09, 13 e 17 dias após a semeadura, observando-se a emergência de plântulas. Houve efeito significativo dos tratamentos nas duas primeiras avaliações, mas não na terceira (P=0,0002, P=0,0185 e P=0,4581, respectivamente), provavelmente esse efeito foi devido à remoção ou não da carúncula, sendo notável a maior rapidez de germinação das sementes com carúnculas removidas. Todavia, parece não haver efeito da embebição das sementes em água, ou nas condições em que foi conduzido o ensaio, não se pôde mensurar tal efeito, uma vez que as bandejas foram irrigadas diariamente. No segundo ensaio procedeu-se regressão linear dos dados de germinação, avaliados por 13 dias iniciando-se a avaliação aos oito dias após a semeadura, em função do tempo. A estimativa do parâmetro de inclinação da reta serviu para comparar os tratamentos por intervalo de confiança. O efeito de remoção de carúncula foi significativo em acelerar a germinação. Analisando-se o efeito do tempo de embebição em água, dentro do tratamento remoção de carúncula, não houve efeito do tempo de embebição em relação as sementes intactas. Em sementes com a carúncula removida, o tratamento com 4 horas de embebição foi superior aos demais tratamentos.

Fonte: biodieselbr.com