Criação de Valor Compartilhado

Economia Verde

Desenvolvimento de soluções inovadoras para o setor de Economia Verde, com ênfase em racionalidade no uso de recursos naturais e em valorização da biodiversidade e dos serviços ecossistêmicos, tendo o propósito de gerar valor, gerir ativos e medir impactos.

CRIAÇÃO DE VALOR COMPARTILHADO EM CADEIAS PRODUTIVAS SUSTENTÁVEIS

O princípio do valor compartilhado envolve a geração de valor econômico de forma a criar também valor para a sociedade (respondendo às suas necessidades e desafios) e para o meio ambiente. O objetivo é conectar o sucesso da empresa ao progresso social e ambiental a partir das seguintes frentes: concepção de novos produtos e mercados; redefinição da produtividade na cadeia de valor; promoção do desenvolvimento de clusters locais e ecossistemas de Inovação Verde.

Estruturação de ecossistemas de inovação verde
Facilitar a transição para a Economia Verde, provendo soluções para que empresas e entes públicos se posicionem de forma estratégica e competitiva nesta Nova Economia. Nesse contexto, a equipe da Fundação CERTI oferece a concepção de estruturas e arranjos de organizações para o desenvolvimento de novos negócios e a estruturação de Ecossistemas de Inovação Verde e de redes colaborativas. O principal objetivo é promover a colaboração e cooperação entre indivíduos e organizações na condução de estratégias voltadas para o alcance de resultados de impacto (sociais, ambientais e econômicos) positivo.

Modelagem de negócios inovadores geradores de impacto
Um modelo de negócio pode ser conceituado como a descrição da lógica de como uma organização cria, distribui e captura valor. A partir da reformulação da natureza do negócio e da natureza da própria organização, sob a ótica dos princípios e valores norteadores de uma nova economia, induzimos as mudanças de paradigma visando a geração de impacto positivo.

Estratégias de sustentabilidade na cadeia de valor
Desenvolvimento de estratégias visando mitigar ou mesmo anular impactos negativos geradores de custos (ambientais e socioeconômicos) para a cadeia de valor da empresa. Muitas destas externalidades prejudicam o desempenho das organizações, mesmo na ausência de regulamentação ou taxação de recursos. A CERTI oferece soluções para a promoção da sinergia entre produtividade e progresso sócio ambiental sob uma perspectiva de valor compartilhado, e ainda a simbiose entre cadeias produtivas, a partir de relações ganha-ganha de auxílio mútuo.

MECANISMOS FINANCEIROS PARA VALORIZAÇÃO DA BIODIVERSIDADE

Potencializar o capital natural brasileiro como grande ativo que diferencia o país globalmente no cenário da nova economia.

Estruturação de políticas públicas com uso de instrumentos econômicos de mercado para conservação da natureza
Desenvolvimento de mecanismos econômicos, indução e suporte à elaboração de marcos regulatórios voltados à alavancagem da conservação do capital natural em larga escala. A Fundação CERTI oferece soluções que visam à promoção do equilíbrio da relação entre oferta e demanda, para viabilizar um mercado e de compensar os custos de oportunidade.

Rentabilização de áreas naturais privadas
Análise socioeconômica e de paisagens ecológicas, com o propósito de resguardar a funcionalidade ecológica das áreas quanto à manutenção de habitats e da permeabilidade para a biodiversidade. A análise estabelece as diretrizes para valoração dos ativos ambientais das propriedades.

Mecanismos de mercado para pagamento por serviços ambientais (PSA)
Criação de mecanismos para desenvolver mercados por meio da participação voluntária de fornecedores e compradores de Serviços Ambientais. A natureza das transações pode ocorrer entre indivíduos, organizações e proprietários de áreas naturais de interesse, e relevância ambiental. A solução contempla um conjunto de variáveis: análise da região beneficiária, escopo de intervenção, marcos legais, sistema de monitoramento, mecanismo financeiro para a gestão dos ativos e remuneração aos ofertantes, visando à conservação dos biomas e garantindo ganhos ambientais e econômicos para os envolvidos.

MEDIÇÃO, BALANÇO E COMUNICAÇÃO DE IMPACTOS AMBIENTAIS

Facilitar e promover a medição e compensação de impactos ambientais e a comunicação de resultados aos stakeholders por meio de mecanismos e ferramentas que possibilitem a disponibilização de informações simples, atraentes, tangíveis e rastreáveis. Como consequência, proporciona-se aos clientes o fortalecimento de suas marcas em sustentabilidade.

Sistemas de monitoramento inteligente da biodiversidade voltados para tomada de decisão
Ferramenta de análise integrada de dados que tem por objetivo promover a usabilidade das informações de performance de impacto sobre a biodiversidade, sobre o nível de sustentabilidade das atividades ou sobre temas similares para a tomada de decisões estratégicas das empresas, com resultado na redução de riscos para a operação.

Diagnósticos & estratégias de ocupação sustentável de territórios
O modelo define limites referenciais de intervenção (impacto ou uso) baseado nos atributos naturais e sociais de tal território e em suas capacidades de suporte. Está baseado na manutenção das funcionalidades ecológicas das áreas, garantindo a manutenção dos Serviços Ambientais presentes no mesmo, e é aplicável a duas frentes principais:

  • Empreendimentos que ocupam áreas extensas, como empreendimentos imobiliários, áreas produtoras de commodities e outros produtos em larga escala, e ainda grandes empreendimentos lineares.
  • Cria competitividade ambiental na atração de empreendimentos na respectiva cadeia, assim como no acesso de empreendimentos locais como fornecedores de cadeias corporativas sustentáveis e de mercados diferenciados.

 

Planejamento de corredores ecológicos
Definição de critérios para o desenho e estruturação de corredores ecológicos a partir da integração de áreas protegidas e de elevado interesse ou relevância ambiental. Concepção de diretrizes para sua implementação, incluindo questões científicas, jurídicas, operacionais, econômicas e de governança.

Planejamento de unidades de conservação públicas & privadas
Identificação de riscos e oportunidades para a implementação de UCs e determinação das diretrizes necessárias para a efetiva implementação. O planejamento inclui questões científicas, jurídicas, operacionais, econômicas e de governança.

Estudos de capacidade de suporte ambiental
Análise da ocupação de áreas sob uma perspectiva ambiental, levando em consideração o tipo de uso e seus respectivos impactos. O objetivo é promover a proteção dos recursos naturais, mantendo a qualidade e atributos da paisagem, ou a experiência da visitação (em contextos turísticos).

Geração de modelos conceituais de soluções
Soluções inovadoras alinhadas às demandas da Economia Verde. Desenvolvimento e proposição de novos negócios visando à geração de externalidades positivas para diferentes setores da economia e cadeias de valor.

 

Fonte: http://www.certi.org.br/