Desperdício de Produção

ECOLUNA – Pneus usados podem ser tudo, menos “inservíveis”

ambientebrasil

As principais aplicações dos pneus pós-uso como insumo estarão sendo apresentadas pela Reciclanip – braço ambiental da Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos (ANIP) – na 2a. Mostra Sistema FIESP de Responsabilidade Socioambiental, desta quarta à sexta-feira na Fundação Bienal, em São Paulo.

Co-patrocinadora do evento, a Reciclanip terá seu estande, de 30 metros quadrados, totalmente revestido de manta de borracha – produzida a partir de pneus inservíveis.“Pelas suas características, as mantas de borracha também são excelentes como revestimento acústico e são muito procuradas por escolas de música”, afirma Renata Murad, gerente geral da Reciclanip.

A entidade apresentará ainda uma grande variedade de materiais que podem ser produzidos a partir do reaproveitamento do pneu inservível – desde o piso, próprio também para áreas recreativas, infantis e quadras esportivas, aos objetos de decoração, como poltronas, bancos com concreto-borracha e até a imitação de pedriscos para os vasos de plantas e almofadas, confeccionadas em material têxtil oriundo de pneus.

Estão ainda expostos no stand da Reciclanip outros materiais, como solados para calçados, rodinhas, artefatos para automóveis, brinquedos e artesanato. “O nosso objetivo é mostrar todas as formas de reaproveitamento dos pneus inservíveis. Com isso, esperamos incentivar o desenvolvimento desta nova cadeia produtiva e contribuir para abrir oportunidades de novos negócios”, comenta Renata. Atualmente, apenas 16% dos pneus inservíveis são transformados em borracha granulada e pó de borracha que, por sua vez, abastecem as indústrias de artefatos e pisos. Os demais 84% são utilizados como alternativa energética pela indústria cimenteira.

Passivo ambiental

A Amda solicitou, em ofício enviado ao secretário de meio ambiente em exercício, Shelley Carneiro, revogação imediata da Autorização Ambiental de Funcionamento fornecida à Mineração Santa Paulina Ltda., localizada no limite do Parque Estadual do Rola Moça, em Ibirité, cidade a cerca de 22 Km de Belo Horizonte. A AAF foi emitida em dezembro passado pelo superintendente da Região Central Metropolitana de Meio Ambiente, José Flávio Mayrink Pereira.

Segundo a superintendente da Amda, Maria Dalce Ricas, além de o empreendimento estar localizado na faixa de entorno de uma unidade de conservação, o que já torna a AAF ilegal, a mineração deixou um grande passivo ambiental, representado por extensa área desprovida de vegetação e sujeita a processos erosivos constantes. A lavra localiza-se a montante de diversas nascentes que compõem mananciais da Copasa (Companhia de Saneamento de Minas Gerais).

Leilão de carvão

O Governo do Pará realizou na sexta-feira passada, em Barcarena, região metropolitana de Belém, o primeiro leilão de carvão vegetal apreendido pelo Ibama. O lote, com 26.300 metros cúbicos, foi apreendido em 2006, na Usina Siderúrgica Pará (Usipar).

Fonte: http://noticias.ambientebrasil.com.br/exclusivas/2008/08/11/39966-ecoluna-pneus-usados-podem-ser-tudo-menos-inserviveis.html