Soja

Dólar eleva custo de produção da soja 16/17 para R$ 3.347 por hectare no Mato Grosso

Publicado em 24/11/2015

A safra 2015/16 ainda é semeada no Mato Grosso, mas os produtores já demonstram preocupações quanto aos custos da próxima temporada. Neste ano o câmbio foi o principal influenciador nos custos e a perspectiva do Imea (Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária) é que a desvalorização do real continue impactando nos preços dos insumos na safra 2016/17.

Pela terceira safra consecutiva, o custo firma-se como o maior da história, atingindo R$ 3.347,33/ha para o cultivo com transgênicos e, R$ 3.378,82/ha para a soja convencional. O Instituto considerou em suas projeções a taxa de câmbio em R$ 3,88 com isso as despesas com insumos somariam 59,4% o equivalente a R$ 1.989,12 nos gastos com sementes, fertilizantes, defensivos e operação com máquinas no plantio de transgênicos.

“Ao avaliar o impacto do dólar sobre o custo da safra 16/17, verifica-se que, caso a taxa de câmbio média da safra 15/16, de R$ 3,01/US$, fosse à mesma na safra 16/17, o custo total atingiria o valor de R$ 2.804/ha. Essa diferença de R$ 543/ha, significaria R$ 10,33/sc a menos caso fosse considerada na safra 16/17 a mesma produtividade aguardada para a safra 15/16, de 52,6 sc/ha”, explica o Imea em seu boletim semanal, divulgado nesta terça-feira (24).

As projeções econômicas para 2016 também não são animadoras. Nesta semana pela primeira vez o relatório do Banco Central estimou que a inflação pode romper o teto da meta de 6,5% do sistema brasileiro. Além disso, o Ministério do Planejamento também informou que já trabalha com uma queda 1,9% do Produto Interno Bruto (PIB) no ano que vem, ante crescimento de 0,2% anteriormente, segundo parâmetros econômicos atualizados enviados ao Congresso Nacional no fim da sexta-feira (20).

Com isso, os economistas do mercado financeiro estimam que para o término de 2016, a previsão dos analistas para a taxa de câmbio ficou estável em R$ 4,20.

>> Confira a projeção completa do Imea para cada região.

Safra 2015/16

De acordo com levantamento do Imea (Instituto Mato-grossense de Economia Aplicada) em todo o estado a semeadura atingiu 89,7% até o dia 19 de novembro, avançando apenas 550 mil hectares cultivados na última semana. A chuva que vinha sendo aguardada não se consolidou em algumas regiões e por isso o total já cultivado fica abaixo de 2014 em 3,4%.

Segundo Imea a região mais atrasada é a nordeste, que com 65,5% semeados, registra o menor percentual desde a safra 09/10.

Por: Larissa Albuquerque
Fonte: Notícias Agrícolas