Reprodutivo

Dicas Manejo Reprodutivo

Dicas de manejo no pré-parto e parição:

Os principais cuidados devem ser tomados um mês antes do parto. As fêmeas em final de gestação devem receber vacinação contra clostridioses, ter acesso a uma alimentação de qualidade, estar separadas em lotes por ordem de parição e alojadas em potreiros limpos, tranqüilos, de fácil acesso e observação. Nesta fase as fêmeas devem ser manejadas com muito cuidado. O manejo cuidadoso visa evitar situações estressantes e conseqüentemente abortos.

Para facilitar a observação, os animais devem ficar em piquetes próximos à sede e de fácil acesso, porque muitos cordeiros e até mesmo as matrizes, podem morrer por causa de partos difíceis e falta de cuidados no momento do parto. Uma das causas da mortalidade muito comum em sistemas mais intensivos de criação, em rebanhos em final de gestação ou com cria ao pé, é a alta lotação (menos de 1,5 – 2,0 m2/fêmea), quando os animais são recolhidos durante a noite em apriscos. Além disso, quando o ripado do aprisco não é bem feito, com espaço muito grande entre ripas, as crias podem prender suas patas nas frestas, não podendo mamar e ficando expostos ao pisoteio.

A temperatura ideal para os recém-nascidos é em torno de 26–28 ºC. Em temperaturas muito baixas, com muita umidade, aumenta consideravelmente a mortalidade de cordeiros por hipotermia. É muito comum o ataque de predadores ao rebanho, sendo importante projetar instalações que dificultem o acesso dos mesmos (muros, telas, cercas elétricas, etc.).

Nesta fase é muito importante o controle zootécnico, já que algumas mães podem não apresentar boa habilidade materna, conseqüentemente rejeitando as crias, não amamentando corretamente. Se não houver o controle do rebanho torna-se difícil fazer a identificação destas fêmeas.

O melhor parto é aquele que não necessita da interferência do homem, mas em alguns casos, o auxilio é necessário. Se 3 horas após o rompimento da bolsa a fêmea não parir, é porque algo pode estar errado. Dentre as causas de problemas ao parto pode-se enumerar elevado peso dos fetos, posição fetal anormal e idade das fêmeas (muito jovens ou muito velhas).

Portanto todos os cuidados são necessários para haver uma melhor taxa de natalidade no rebanho.

Dicas de manejo do recém-nascido:

No momento do nascimento, duas práticas de manejo são muito importantes, visando manter a futura sobrevivência e saúde do recém-nascido.

1) O cordão umbilical deve ser imerso em uma solução de tintura de iodo (10%), com o objetivo de prevenir o ingresso de agentes causadores de enfermidades. No caso do cordão umbilical ser muito longo, é conveniente cortá-lo e não deixar comprimento maior que 7,5 a 10 cm. Se houver algum sangramento, pode amarrar-se com fio de sutura ou barbante. Este procedimento previne possíveis infecções e facilita a rápida secagem do umbigo, para posterior desprendimento.

2) O segundo aspecto refere-se à alimentação colostral, a qual deve iniciar o mais rápido possível. O primeiro leite contém anticorpos que a fêmeas não proporcionam ao feto enquanto este permanece no útero. Seu consumo deve ser iniciado antes de transcorridas 18h pós-parto, já que a permeabilidade intestinal aos anticorpos se perde de forma relativamente rápida. O colostro pode ser administrado às crias recém-nascidas com ajuda de mamadeiras, assegurando assim o correto consumo.

mauri092008_001.jpg mauri092008_002.jpg

Maurício Prestes Bragagnollo

UNIPAMPA/Campus Dom Pedrito – Curso de Zootecnia

Fonte:

http://www.uniovinos.unipampa.edu.br/index.php?option=com_content&view=article&id=85:dicas-de-manejo-no-prarto-e-pari&catid=20:dicas-de-manejo&Itemid=56