biblioteca

Desde 2008, uso de biodiesel no Brasil evitou 22 milhões de t de CO2eq

22/10/13
“Benefícios ambientais da produção e do uso de biodiesel” é o título do relatório concluído em outubro pela Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Oleaginosas e Biodiesel do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimnto (MAPA), sob a coordenação da ABIOVE. De julho a outubro, membros da Câmara Setorial desenvolveram o documento, uma coletânea de estudos e análises sobre benefícios ambientais do biodiesel. Os resultados revelam alguns dos ganhos já obtidos com a vigência do Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel (PNPB).

Somando todo o biodiesel consumido no Brasil desde 2008, as emissões evitadas de gases do efeito estufa (GEE) já atingem cerca de 22 milhões de toneladas de dióxido de carbono equivalente – CO2eq. por ano -, o que corresponde ao plantio de 158 milhões de árvores, semeadas em aproximadamente 144 mil campos de futebol, em 20 anos.

Atualmente, com o B5, estão sendo evitadas emissões de cerca de 5,2 milhões de toneladas de CO2eq. por ano. O uso do B6 passaria a evitar algo como 6,2 milhões de toneladas anuais de CO2eq., enquanto que a introdução do B7 representaria 7,3 milhões de toneladas de emissões de CO2eq. evitadas ao ano. O uso de B10 representaria, em 2013, cerca de 10,4 milhões de toneladas evitadas de CO2eq. e o B20, aproximadamente 20,8 milhões de toneladas. Cada percentual a mais de biodiesel mandatório, no Brasil, é equivalente ao plantio de cerca de 7,2 milhões de árvores.

Emissões

O primeiro tópico abordado pelo relatório explora o tema emissões de Gases do Efeito Estufa e emissões diretas. No primeiro caso, constata-se que a utilização do biodiesel puro, em detrimento do diesel mineral, reduz as emissões de GEE em 70%.
Já as emissões diretas causadas pela queima de combustíveis nos motores de ciclo diesel também são reduzidas significativamente com a utilização do biodiesel. O envio de materiais particulados, hidrocarbonetos e monóxido de carbono, substâncias nocivas à saúde humana, cai 5% com o uso do B5, podendo atingir até 10% no caso do B10 (mistura de 10% de biodiesel e 90% de diesel fóssil).

Resíduos

O sebo bovino e o óleo de fritura usado são listados, hoje, como importantes fontes para a produção de biodiesel no País. Segundo o estudo, o PNPB proporcionou um mercado nobre para a utilização desses subprodutos, incentivando o correto armazenamento, o descarte e a utilização. Como exemplo, o relatório informa que dos cerca de 800 milhões de quilos de sebo bovino produzidos no Brasil, metade vira biodiesel. No caso do óleo de fritura usado, as estimativas indicam que em 2013 serão produzidos mais de 35 milhões de litros do biocombustível a partir dessa fonte.

Cadeias afins

O relatório mapeia iniciativas ambientalmente sustentáveis de cadeias afins ao biodiesel. No caso do óleo de fritura usado, identificaram-se iniciativas como o Programa Óleo Sustentável, cujo objetivo é conscientizar a população sobre a correta destinação do produto. Ao todo, já foram mapeados mais de mil pontos de coleta em todo território nacional.

O relatório completo e a apresentação sobre os benefícios ambientais da produção e do uso do biodiesel estarão disponíveis, assim que publicados pelo MAPA, no site da ABIOVE.

 

Fonte: Agrolink