Produtivo

Demanda energética nas operações mecanizadas na silagem de milho no sistema de “silo bag”

Foi avaliado o consumo energético das operações mecanizadas envolvidas na produção de silagem de planta inteira e silagem de “grão úmido” de milho, tendo como referência o processamento seco desse cereal. O ensaio foi conduzido na Fazenda Experimental Lageado, pertencente à Faculdade de Ciências Agronômicas, e nas instalações da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia – UNESP, localizada no município de Botucatu – SP. O delineamento experimental foi em blocos ao acaso, com parcelas subdivididas no tempo (três épocas de colheita: silagem de planta inteira, silagem de “grão úmido” e colheita de grãos secos), com 10 repetições. As análises estatísticas foram realizadas por meio do programa ESTAT, pelo teste de média de Tukey, a 5% de probabilidade. A silagem de planta inteira teve o maior consumo de combustível por área. A secagem dos grãos de 15,5% para 13% foi responsável por 87% do gasto de energia por área. A silagem de “grão úmido” demandou o menor uso de energia por área nas operações mecanizadas.

Veja o artigo na integra clicando aqui.

Autores: André S. Seki, Sérgio H. Benez, Paulo R. A. Silva, Élcio H. Yano, Luiz M. M. Mello

revista Engenharia Agrícola

Fonte: http://www.agrolink.com.br/culturas/milho/artigo/demanda-energetica-nas-operacoes-mecanizadas-na-silagem-de-milho-no-sistema-de–silo-bag-_121190.html