Pecuária

Custo de produção da pecuária bovina aumentou até 20% em Mato Grosso

27/02/15
Em Mato Grosso, gastos com suplementação, aquisição de animais, renovação e recuperação de pastagens contribuíram para o aumento de 20,67% no custo de produção da pecuária bovina no sistema de engorda. Dados levantados pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) a pedido da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) mostram que os pecuaristas do estado gastaram R$ 97,23 por arroba em 2014, frente a R$ 80,58 no ano anterior.

Segundo o estudo, o preço de fertilizantes, corretivos e defensivos, utilizados para reforma e recuperação das pastagens, foram os itens que mais influenciaram a alta no custo. Os produtores desembolsaram no ano passado cerca de R$ 9,14/@ para renovar e R$ 5,23 para recuperar as pastagens, representando um aumento de 42,54% e 63,02%, respectivamente, na comparação com 2013.

O gerente de projetos da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Fábio da Silva, explica que o preço dos fertilizantes é balizado pela cotação da moeda norte americana, sendo um insumo importado “Com a alta do dólar o preço dos fertilizantes sob iram, onerando ainda mais os custos do pecuarista”, diz. Além disso, o custo para aquisição de animais também teve aumento, de 30%, passando de R$ 42,58/@ para R$ 55,73/@ no sistema de engorda.

Em relação ao sistema de cria, o aumento no custo operacional total foi de 5,3%, subindo de R$ 93/@ para R$ 98,25/@, tendo como destaque negativo do aumento a compra de insumos para a recuperação de pastagens.  Se tratando do ciclo completo, o custo de produção aumentou 2,92% em 2014 na comparação com 2013, passando de R$92,13/@ para R$ 94/@. Gastos com assistência técnica (32%), o aumento dos impostos (25%) e a compra de vacinas para o manejo sanitário e reprodutivo do rebanho (23%) contribuíram para a alta.

Agrolink com informações de assessoria