Ovos: Excesso de oferta pressiona cotações no mercado interno

stevepb (CC0), Pixabay

Publicado em 26/09/2018

As referências para os ovos brancos e vermelhos recuaram no mês de setembro em função da oferta elevada no mercado interno. No entanto, a expectativa é que esse cenário melhore na primeira quinzena de outubro, já que as vendas costumam diminuir na segunda quinzena, devido ao menor poder aquisitivo da população.

Segundo a analista de mercado do Cepea, Maristela de Mello Martins, o grande volume de ovos disponíveis se deve aos investimentos que os avicultores fizeram no ano anterior. “No ano passado, as cotações estimularam os produtores rurais a aumentar o plantel”, afirma.

De acordo com as informações do Cepea, entre os dias 17 e 21 de setembro, a caixa com 30 dúzias de ovos brancos, negociada em Ribeirão Preto/SP, teve uma desvalorização de 5,1%, sendo cotada a R$ 72,35. Já para os ovos vermelhos, os preços recuaram 5,30% no período, cotada a R$ 79,56/cx.

Na região de Guararapes/SP, a referência para a caixa com 30 dúzias de ovos brancos está em torno de R$ 67,89/cx com um recuo de 2,20%. No caso dos ovos vermelhos, os preços registraram uma queda de 2,20% e a caixa está sendo negociada próxima de R$ 78,23/cx.

Em Bastos/SP, as cotações dos ovos brancos tiveram uma desvalorização de 3%, sendo que a caixa está cotada a R$ 66,62/cx. Os ovos vermelhos estão ao redor de R$ 73,20 com um recuo de 4,20%.

» Clique e veja as cotações completas dos ovos

Já o levantamento realizado pela a Scot Consultoria, também aponta queda nos preços na granja e no atacado de São Paulo. Segundo a analista de mercado da consultoria, Juliana Pila, o excesso de oferta está deixando o mercado fraco. “Nós estamos observado queda nas cotações nas últimas semanas, sendo reflexo da demanda que está aquém da oferta”, aponta.

Conforme dados divulgados pelo Cepea, mostra que na comparação entre setembro/17 com a parcial desse mês (até 24/09), o poder de compra do produtor de ovos brancos de Bastos reduziu 41,9% frente ao milho e 43,8% frente ao farelo de soja.

A analista da Scot Consultoria destaca que o poder de compra do avicultor já estava fragilizado com os preços do milho em alta na comparação anual. “Com as quedas de preços dos ovos, essa relação de troca ficou ainda pior”, completa.

Por: Andressa Simão
Fonte: Notícias Agrícolas