Variedades

Cultivares de soja resistentes ao glifosato e nematóide

Kamila Pitombeira
05/07/2011
Com o desenvolvimento da tecnologia quando o assunto é semente, muitas cultivares têm sido desenvolvidas buscando atender diferentes objetivos dos produtores rurais. Desenvolvidas pela Pionner, as cultivares de soja 98Y12 e 98Y30 contam com características voltadas para regiões próximas ao Mato Grosso e Mato Grosso de Sul. Segundo José Francisco Martins, gerente de qualidade e semente básica da Pioneer, ambas as cultivares são resistentes ao glifosato e aos nematóides de cisto das raças 1 e 3. Porém, a cultivar 98Y12 é um pouco mais precoce que a 98Y30.
— Hoje, indicamos o cultivo da Y12 para regiões a partir do sudoeste goiano, pegando toda a região do Mato Grosso e a parte Norte do Mato Grosso do Sul. Já a Y30, é recomendada para a região de Goiás, Mato Grosso, Norte do Mato Grosso de Sul e uma parte da região Sul da Bahia — afirma o gerente. 

De acordo com ele, a cultivar Y12 é um material um pouco mais precoce e, por isso, dependendo da região, precisa ter uma população um pouco mais elevada que a Y30. O trabalho então deve ser feito em torno de 12 plantas por metro.

— Já a cultivar Y30, é um material que responde muito bem, tem uma ampla capacidade de engalhamento e, por isso, conseguimos trabalhar com uma população um pouco mais baixa, em torno de 10 plantas por metro — conta ele.

Em relação aos tratos culturais contra doenças, Martins diz que ambas são similares e exigem os mesmos tratos que a cultura da soja costuma exigir, principalmente com o advento da ferrugem asiática. Portanto, deve-se fazer aplicações de fungicidas nas épocas recomendadas para a sojicultura.

— Em relação ao uso de fertilizantes, hoje, quase todas as culturas são extremamente produtivas. A soja está migrando para outro patamar, saindo de 50 sacos. Já temos algumas cultivares em regiões do Cerrado chegando a 70 sacos por hectare em média — diz.

Ainda segundo o gerente, essas cultivares respondem muito à fertilidade em áreas corrigidas em com bom potencial produtivo. Mas é recomendado que o produtor use de 400Kg a 500Kg de adubo voltado para a cultura da soja por hectare.

— A produtividade média das duas cultivares gira em torno de 60 sacos por hectare. Porém, temos áreas de clientes que fecham com 70 sacos por hectare. Esse número varia sempre em função do manejo da cultura, desde a dessecação da área até os cuidados pré-colheita — explica Martins.

Ele diz que esses cuidados compreendem desde a aplicação de herbicidas pós-emergentes na hora certa até as aplicações de fungicidas também na hora certa. Hoje, com o advento da ferrugem asiática, ele explica que os produtores devem prevenir a entrada desse problema. Portanto, deve-se fazer um trabalho preventivo com a aplicação anterior à entrada da ferrugem.

Para mais informações, basta entrar em contato com a Pioneer através do número (51) 3719-7700.

Fonte: http://www.diadecampo.com.br/zpublisher/materias/Materia.asp?id=24648&secao=Pacotes%20Tecnológicos&c2=Soja