Sanitário

Cuidado Odontológico também é coisa pra Cavalo

por Maurício Bittar

Para a manutenção da saúde dos eqüinos um cuidado adequado com a dentição é essencial. Por isso o serviço odontológico tem se tornado extremamente importante no programa preventivo de hípicas e haras.

A necessidade da intervenção odontológica nos eqüinos advém das alterações no hábito alimentar e na dieta dos cavalos, com a adição de rações concentradas e menor oferta de forragem, que diminuíram o tempo de ingestão e estimularam a ocorrência de movimentos mastigatórios mais verticais, predispondo a alterações de desgaste dentário, como:

Pontas de Esmalte
Ondas
Degraus
Cristas Transversas Excessivas
Ganchos
Rampas

 

Muitos animais não apresentam sinais evidentes de problemas odontológicos até que ocorram intensas alterações dentárias que impossibilitem a correção dos mesmos. No entanto, apesar da perda de peso constituir um possível sinal de problemas dentários, é importante salientar que é incomum ocorrer, a não ser que a patologia dentária seja grave e crônica. Portanto, a presença de boa condição corporal não é motivo para dispensar a necessidade de exame e tratamento odontológico.
Dentre as alterações no comportamento alimentar do animal e na saúde, observa-se:

1. Devolução de forragem parcialmente triturada durante a mastigação;

2. Dificuldade de mastigar ou engolir;

3. Salivação excessiva;

4. Volume na bochecha causado pelo acúmulo de forragem;

5. Grandes fragmentos de forragem ou grãos inteiros presentes nas fezes;

6. Movimentos com a cabeça durante a ingestão de alimentos, entre eles sacudir, inclinar e balançar;

7. Movimentos com a língua sob a forma de torcer ou girar;

8. Mastigar, morder ou reagir contra a embocadura;

9. Resistência ao comando pela embocadura para virar ou parar;

10. Volumes na borda inferior (ventral) da mandíbula ou nos ossos da face com ou sem fistulas;

11. Limitação ou queda da performance;

12. Perda ou dificuldade de ganho de peso;

13. Odor fétido na boca (halitose) ou nas narinas;

14. Corrimento nasal sanguinolento, purulento, pútrido, etc.;

15. Sinusite;

16. Sangramento oral após treinamento;

17. Cortes e úlceras na gengiva (estomatite) e língua (glossite);

18. Cólicas recorrentes;

19. Cólicas por compactação.

No Brasil, nas últimas duas décadas, o serviço odontológico no interior dos hipódromos por todo o país, era responsabilidade de práticos e enfermeiros e consistia apenas em segurar a língua do animal e “grosar” os “dentes de trás” da boca de um eqüino. Por muitos anos médicos veterinários ignoraram os problemas odontológicos ocasionados pela má oclusão devido à falta de conhecimento, observação e material adequado para a realização de um serviço odontológico adequado.Hoje em dia o profissional especializado possui conhecimento sobre anatomia, fisiologia, patologia dentária; e anestesiologia. Além disso, possui equipamentos adequados que permitem uma adequada intervenção odontológica sem a ocorrência de maiores traumas para o animal.

O cuidado odontológico regular, em intervalos que variam de 06 meses a 01 ano (de acordo com a idade e possíveis alterações dentárias individuais), é de suma importância na prevenção das alterações do desgaste dentário e das patologias que ela pode acarretar.

É salutar afirmar que na odontologia eqüina o melhor tratamento é o preventivo. Portanto, é importante conscientizar os proprietários de que a grande maioria dos tratamentos dentários curativos nos eqüinos são particularmente mais difíceis, demorados e onerosos.

Referências Bibliográficas

ALVES, G.E.S. Odontologia como parte da gastroenterologia. In: ALVES, G.E.S. ; PAGLIOSA, G.M.; SANTOS, J.A.M. Mini -Curso Odontologia Eqüina. Indaiatuba, Brasil, p. 7-22, 2004.

BAKER, G.J. Abnormalities of Wear and Periodontal Disease. In: Baker, G.J.; Easley J. Equine Dentistry. Philadelphia, U.S.A.: Saunders, 2005. p. 111-119.

JOHNSON, T. J. Correction of Common Dental Malocclusions with Power Instruments. In: Robinson N.E. Current Therapy In Equine Medicine 5. Philadelphia, U.S.A.: Saunders, 2003. p. 81-87.

PAGLIOSA, G.M.; ALVES, G.E.S. Odontologia equina. In: Revista Brasileira de Medicina Equina. São Paulo, Brasil, v05, p 6-12, 2006.

Dr. Mauricio José Bittar é Médico Veterinário oficial da ABHIR e atua nas áreas de Clínica, Radiologia, Anestesiologia, Odontologia e Medicina Esportiva Eqüina.

Contatos: (19)81153939 ou (19)35341372
E-mail: bittarvet@uol.com.br

Fonte:

http://www.endurancebrasil.com.br/port/tecnicas/cuidado_odontologico.php