Mudas e Sementes

Cresce cultivo de mudas de seringueira

Expectativa na Fazenda Experimental Vale do Piranga é que sejam produzidas 15 mil mudas este ano
Patrícia Santos Dumont – Repórter – 15/02/2011 – 07:54

A Empresa de Pesquisa e Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) está na expectativa de alcançar neste ano um avanço progressivo no cultivo de mudas de seringueira na Fazenda Experimental Vale do Piranga, em Oratórios, Zona da Mata. Com isso, será possível suprir a demanda estadual e também nacional do produto. Do cultivo da planta (da qual se extrai o látex, matéria-prima para a produção da borracha), vivem centenas de produtores locais e também boa parte da economia da região, a terceira maior produtora do Estado, perdendo apenas para a Região Nordeste e Triângulo Mineiro. São nesses locais que, de acordo com o pesquisador de seringueira da Epamig, Antônio de Pádua Alvarenga, concentram-se os melhores enxertadores de Minas Gerais, responsáveis pelo sucesso das plantações. O plantio na região começou em 2008.

Pádua explica que o plantio de clones de mudas é um trabalho delicado e cuidadoso, que depende não somente das condições climáticas e do solo, mas de investimentos financeiros iniciais em sementes de qualidade, adubo e fertilizante, montagem do viveiro, mão de obra e manutenção. “O sucesso de um bom seringal está na boa muda, daí a importância de todo o processo”.

Para o pesquisador, especialista em tratos culturais, o mercado é promissor e viável, na Zona da Mata e em todo o Estado. “Atualmente, é uma das atividades agrícolas de maior rentabilidade e continuará sendo durante muitos anos”, observa. Ele conta que existem pelo menos 50 tipos de clones, mas nem todos são adaptáveis à região.

Em Oratórios, no entanto, a chance de pegamento das mudas é grande, o que garante um cultivo com resultados positivos. “Um mesmo tipo de clone pode se comportar de maneira diferente em uma mesma região e Minas oferece condições ideais de quantidade de chuva, umidade e tipo de solo. As condições favoráveis à produção de seringueira em Minas são confirmadas por pesquisas da Epamig, Regional Zona da Mata. “Os principais fatores favoráveis à cultura no Estado são a boa localização e a disponibilidade de água. Algumas áreas da Zona da Mata apresentam uma relativa exceção, com problemas de cultivo que podem ser corrigidos com irrigação”, ressalva.

O jardim clonal – onde são plantados os clones que darão origem às mudas – é permanente, conforme o pesquisador; com uma vida útil média de oito anos. Passado esse tempo, são necessárias novas sementes e cultivo de novos clones, já que os velhos podem prejudicar os resultados das mudas de seringueira. “Se a enxertia for feita com um clone velho, é como se a planta já nascesse velha, o resultado, portanto, é uma planta cuja vida útil é reduzida”.

O ideal é que o jardim clonal seja replantando anualmente, obedecendo todas as etapas de produção: contratação de mão de obra, adubagem, plantio e transporte das mudas.

Das 6 mil mudas produzidas na Fazenda Experimental, todas foram comercializadas. A demanda para a próxima produção (no final do primeiro semestre), com período de enxertia entre fevereiro e março, é de 15 mil mudas. “Se fossem plantadas 500 mil mudas de seringueira, seriam todas imediatamente vendidas, pois a demanda tem sido muito grande. Todos os dias recebemos pedidos de informação sobre a cultura e de produtores interessados em plantar”, observa o pesquisador. De acordo com Pádua, a exploração da seringueira pode também beneficiar a agricultura familiar. “São necessárias apenas duas pessoas para cultivar cerca de cinco hectares, que podem garantir uma renda mensal de até R$ 3 mil”, estima.

A produção de Oratórios só consegue suprir a demanda da região. Entre os municípios clientes estão Ponte Nova, Muriaé, Matipó e Guaraciaba. Os produtores mineiros podem se beneficiar do crescente consumo de borracha no Brasil, com possibilidades de participar das exportações, reforça Pádua. Inclusive ocupando parte do espaço deixado pelos grandes produtores da Ásia que, em futuro próximo, deverão vender o produto transformado.

O crescimento da demanda por borrachas no Brasil (7,3% ao ano) foi mais acelerado do que o mundial (4,6% ao ano). “Enquanto isso, o ritmo de crescimento da produção de borracha natural no Brasil (4,8% ao ano) em relação ao mundial (6,4% ao ano) mostra o país perdendo espaço na expansão da cultura”, afirmou.

Fonte:  http://www.hojeemdia.com.br/cmlink/hoje-em-dia/noticias/cresce-cultivo-de-mudas-de-seringueira-1.241019