Notícias

Cooperativismo Mundial

O movimento cooperativista foi consolidado e desenvolvido há mais tempo no continente europeu, a partir das idéias formuladas pelos precursores dos princípios cooperativistas. Esses precursores, muitos deles pertencentes ao grupo de pensadores conhecidos como socialistas utópicos, resgataram com suas idéias a importância da cooperação nas relações entre os seres humanos e suas organizações sociais.

A primeira cooperativa foi organizada na Inglaterra em 1844 na pequenina cidade de Rochdale. Constituída, inicialmente, por um grupo de  apenas 28 trabalhadores braçais, quase todos do ramo têxtil, com recursos muito escassos, inauguraram uma das mais extraordinárias experiências de cooperação e solidariedade registrada na História, a criação de cooperativas.

O cooperativismo representa um movimento de âmbito universal, tendo como fundamento um corpo de doutrinas e princípios baseados, antes de tudo, na solidariedade entre as pessoas e, evoluindo verticalmente, resulta na união das cooperativas desde o plano local até o internacional. A ACI – Aliança Cooperativa Internacional é a entidade que reúne cooperativas de quase 90 países, representando aproximadamente 800 milhões de pessoas associadas  Ela é, portanto, a maior organização não governamental no mundo.

A atuação da ACI independe do estágio econômico em que se encontram  os países – desenvolvido ou em desenvolvimento,  em  todos os tipos de regimes econômicos – de economia planejada  ou os de livre mercado e abrange, também, quase todos os tipos de  atividades: produção e distribuição de mercadorias, consumo, crédito, educação, habitação, pesca e muitos outros segmentos organizados em cooperativas.

Em termos nacionais os principais países em volume de filiados, segundo estatísticas da ACI no final dos anos 90 do Sec. XX são: Índia com 175 milhões de cooperados; China com 160 milhões; EUA com mais de 150 milhões; Japão, 56 milhões; França, mais de 13 milhões; Canadá, mais de 18 milhões; Reino Unido, mais de 8 milhões; Romênia, 6 milhões e o Brasil com um volume mais modesto de 4 milhões.

O cooperativismo representa um movimento de âmbito universal, tendo como fundamento um corpo de doutrinas e princípios baseados, antes de tudo, na solidariedade entre as pessoas e, evoluindo verticalmente, resulta na união das cooperativas desde o plano local até o internacional.

Em âmbito mundial, alguns dados  expressivos do cooperativismo nos países mais influentes:

Nos Estados Unidos:
06 de cada 10 produtores rurais estão associados a uma cooperativa; as cooperativas agrícolas têm fabricação própria de fertilizantes, defensivos agrícolas, exploração, refino e comercialização de petróleo; atuam nos ramos do crédito, de seguros, exportações etc.

Na  Suécia:
o cooperativismo é bastante desenvolvido em todos os setores (consumo, produção, crédito, serviços em  geral); suas fábricas produzem uma variedade muito grande de produtos industrializados, atendendo grande parte das necessidades da população.

Na Inglaterra:
A maior parte dos produtos distribuídos nas lojas das cooperativas são fabricados nas várias centenas de industrias que possuem; cooperativas de produção de mais de 25 países associaram-se ao movimento cooperativista inglês, dando maior abrangência à eliminação de intermediários.

      No Canadá:
Mais de 60% do povo canadense é hoje servido por cooperativas de economia e crédito mútuo (segmento do cooperativismo que teve um crescimento extraordinário, graças ao sistema Desjardin de cooperativas de crédito mútuo); são 3.800 cooperativas, com mais de 18 Milhões de filiados; na província de Quebec, onde foi criada a primeira Cooperativa (Caixa Popular), a participação das cooperativas no sistema financeiro é muito significativo:  Poupança das pessoas físicas atinge 39,3%; Crédito agrícola, 53%; Crédito hipotecário para moradias, 41,8% etc.

      Na França:
O Cooperativismo de Crédito francês possui quatro importante sistemas de crédito cooperativo;  Credit Agricole, é o principal – um em cada quatro franceses é cliente desse Banco; 84.000 empregados; mais de 5 milhões de associados diretos, sendo mais de 1 milhão de agricultores; mais de US$ 350 bilhões de movimento financeiro, praticamente igual ao orçamento da França; Incluindo-se o movimento financeiro dos outros três sistemas de  cooperativismo de crédito na França, o movimento financeiro atinge cerca de US$ 540 bilhões.

      Na Holanda:
um único banco cooperativo nesse país, o Rabobank, atende a cerca de 90% dos produtores rurais; 38% da poupança holandesa;  45% do volume de empréstimos hipotecados; apresentando uma carteira de empréstimo (urbano e rural) em torno de US$ 110 bilhões;  trata-se do 50º maior bando do mundo.

     Na Alemanha:
o sistema de crédito cooperativo da Alemanha tem por base o modelo Raiffeisen (cooperativas rurais) – também adotado na Holanda – e de Schulze-Delitzsch (cooperativas urbanas); corresponde a 25% do sistema financeiro global da Alemanha, com US$ 600 bilhões; opera atualmente com 30 milhões de clientes e detém 13,5 milhões de associados diretos.

Vários países da Europa, Canadá e Estados Unidos implantaram o cooperativismo de crédito dando, através desse segmento, grande ênfase ao princípio da integração. Com isso passaram a criar cooperativas de cooperativas (centrais ou federações), que mais tarde passaram a constituir as Confederações  Nacionais.     Entre elas, merece destaque a Associação Nacional das Cooperativas de Crédito – CUNA, criada nos EUA em 1934 na forma de uma confederação de Centrais Estaduais. Com a preocupação, desde o seu início, de viabilizar um seguro para as cooperativas de crédito, atualmente ela possui uma das maiores companhias  seguradoras do mundo.

Em 1954, a CUNA estendeu seu raio de ação para outros países criando um departamento de extensão mundial para fomentar o cooperativismo. Como resultado desse trabalho, integrou ao sistema as cooperativas Desjardins, do Canadá, além de ajudar a organizar e filiar diversos sistemas nacionais na América Latina. Em 1970 foi criado o Conselho Mundial de Cooperativas de Crédito (WOCCU), retornando a CUNA à condição de entidade nacional.

O  WOCCU é o órgão máximo de representação do Cooperativismo de Crédito no mundo. Sua sede está situada em Madison no estado de Wisconsin nos EUA e é composto por quatro grandes Confederações Regionais e dez Associações Nacionais, que congregam cooperativas de crédito de 85 países.

Trata-se de  uma  organização sem fins lucrativos, cuja missão é “ajudar as entidades membros na organização, expansão, aprimoramento e integração dos respectivos sistemas para que atuem como instrumentos eficazes de desenvolvimento econômico e social da população”. Esse conselho realiza a sua missão por meio de Congressos, seminários e  Reuniões Técnicas, além de proporcionar serviços técnicos a países membros e mobilizar recursos humanos.

Estão filiadas ao Conselho Mundial, 36.244 cooperativas, representando cerca de 90 Milhões de associados, com um Ativo Consolidado do sistema atingindo 380 Bilhões de dólares.

São igualmente muito importantes, além do WOCCU,  outros sistemas como DG BANK e o Volksbank na Alemanha, o Rabobank na Holanda, o Credit Agricole na França, etc. Fazendo uma retrospectiva final, apenas com dados do WOCCU e esses três grandes bancos europeus, chega-se a mais de 1 Trilhão e meio de dólares de Ativos Totais para o sistema cooperativo de crédito.

Fonte: Curso Básico de Cooperativismo à Distância, desenvolvido pela Confebras em parceria com as Centrais de Cooperativas e convênio com o MEC.