Notícias

Cooparaiso completa 55 anos de fundação reestruturada e preparada para o futuro

25/03/2015

Pioneirismo, inovação, credibilidade e confiança do cooperado marcam história da cooperativa.

A Cooparaiso, Cooperativa Regional dos Cafeicultores de São Sebastião do Paraíso, completou no dia 23 de março 55 anos de fundação. Atualmente a cooperativa conta com a sua sede e núcleos em outros nove municípios, sendo oito no estado de Minas Gerais e um no estado de São Paulo.

A Cooparaiso foi fundada em 1960, quando 56 produtores se uniram para criar uma empresa que pudesse armazenar e facilitar a comercialização de duas produções e assim, construíram o primeiro armazém da cooperativa.

Em 1963 aconteceu a primeira exportação de 46.758 sacas de café, por intermédio da Cooperativa Central e no ano seguinte a importação de 12 tratores para os cooperados.

Já em 1965 foi feita a construção de mais um armazém com 2.700 metros quadrados. Na sequência veio a contratação dos primeiros engenheiros agrônomos, através de um convênio com o extinto Instituto Brasileiro do Café, o IBC.

O crescimento da Cooparaiso foi se consolidando e em 1973 a cooperativa construiu seus primeiros escritórios e o salão nobre. Arrendou os armazéns do IBC em São Sebastião do Paraíso em 1974 pois a produção e captação de café crescia a cada ano, tanto é que em 1975 construiu mais um armazém com 450 metros quadrados, o que se repetiu em 1977.

Diante da necessidade de atender os cafeicultores da região, a Cooparaiso iniciou a sua expansão e em 1980 abriu o seu primeiro núcleo na cidade mineira de Itamogi. À época o local servia apenas de entreposto da cooperativa. No decorrer dos anos, passou a ser um núcleo com todos os serviços e produtos para o cooperado.

Em 1983 a cooperativa inaugurou o Laboratório Regional de Fertilizantes de Solo em parceria com a Secretaria de Agricultura de Minas Gerais. Atualmente o local também faz análises foliares, sendo um importante apoio aos cafeicultores indicando as deficiências de nutrientes e os tratos corretos a serem adotados nas lavouras.

No ano seguinte as cidades de Jacuí e São Tomás de Aquino receberam núcleos da cooperativa e para facilitar os planos de exportação de café também foi inaugurado seu escritório no município de Santos, no litoral paulista.

Ao completar 25 anos de fundação, a Cooparaiso já era uma das maisfortes e atuantes cooperativas do mundo em seu setor, e isso é comprovado pela construção de mais um armazém com capacidade para duas mil sacas e de terrenos para a construção de sedes próprias para seus núcleos de Itamogi e São Tomás de Aquino.

O ano de 1987 foi marcante para a Cooparaiso pois aconteceu a sua primeira reestruturação administrativa quando foram eleitos o novo Conselho de Administração e Diretoria e aconteceu a sua primeira exportação direta, sendo 2.168 sacas exportadas e finaliza o período participando de forma ativa do encontro do Conselho Nacional do Café. E em 1988 a cooperativa participa da reunião da Organização Internacional do Café, OIC, em Londres, capital inglesa.

A década de 1990 é marcada pela forte atuação juntos aos governos para a implantação de políticas públicas em prol da cafeicultura e desenvolvimento de diversos e importantes projetos, como o Programa Regional de Renovação da Cafeicultura, com a doação de 15 mil mudas, além da abertura do núcleo em Pratápolis.

Em 1994 o presidente da Cooparaiso, Carlos Melles, elegia-se Deputado Federal tomando posse no ano em que a cooperativa completou 35 anos, sendo implementado, como parte das comemorações, o Primeiro Concurso de Café de Qualidade.

Durante a década de 90 a Cooparaiso ainda contou com a visita do então Governador de Minas Gerais, Eduardo Azeredo, e a implantação dos núcleos de Piumhi, Guapé, Bom Jesus da Penha, Passos no estado mineiro e Altinópolis em São Paulo.

Já em 2.000, ao comemorar os 40 anos da Cooparaiso, o seu presidente Deputado Federal Carlos Melles foi nomeado Ministro do Esporte e Turismo, projetando a região e contribuindo para inúmeras benfeitorias por todo o Brasil e em especial no Sudoeste de Minas Gerais, fazendo com que os municípios atendidos pela cooperativa recebessem melhorias em infraestrutura rodoviária, saúde, esporte, educação e trabalho e emprego, promovendo o desenvolvimento de toda a região e impulsionando com suas ações políticas o agronegócio café e, como consequência, a Cooparaiso.

Ao completar 45 anos de fundação da Cooparaiso, foi criada uma agenda positiva com o planejamento das ações para o crescimento da cooperativa que abrange o período de 2005 a 2016.

Em 2009, às vésperas de seu jubileu de ouro, a Cooparaiso estabeleceu uma parceria com o a cooperativa francesa Agrial e começou a exportar café torrado e moído para a França. Os cafés Alto Paraíso e Classic Mogiana são reconhecidos pelos consumidores europeus e ganham mercado a cada dia pela sua excelência e sabor únicos.

Desde então a cooperativa vem sendo reconhecida pela sua atuação e excelência de gestão, ampliando suas atividades e agregando novos serviços e produtos aos cooperados. Apoiando e lutando sempre por políticas públicas de estabelecimento de preços mínimos e estoques reguladores como forma de garantir a sobrevivência do cafeicultor.

A cooperativa ampliou seu espaço de armazenamento de forma considerável ao disponibilizar novos armazéns para receptação e expedição de café às margens da rodovia BR 491. O armazém 50 ampliou a capacidade de estocagem da Cooparaiso e hoje é um dos mais modernos do país.

A Cooparaiso foi reconhecida pelos anuários da Revista Exame e pelo jornal Valor Econômico como a segunda maior cooperativa de café do mundo. Projetos voltados para o meio ambiente, aumento de produtividade, mecanização das lavouras são premissas que estão sempre em pauta.

A cooperativa é uma importante mobilizadora de ações para a implantação de melhorias do setor cafeeiro, em especial para o produtor. Nos últimos anos a Cooparaiso buscou sua renovação, dando passos importantes para seu equilíbrio financeiro, que foi conquistado com uma gestão austera e comprometida com o resultado, fato que rendeu bons frutos e neste ano revigora-se com novos horizontes a serem explorados.

Em períodos de dificuldades vividos pela cafeicultura nos últimos anos, com preços baixos, secas prolongadas com reflexos negativos na lavoura e na safra, a Cooparaiso tem se colocado ao lado dos produtores, buscando alternativas e formas de aumentar a renda no campo, implementando ações que possam remunerar melhor o seu cooperado pelo café comercializado e assim propiciar mais qualidade de vida ao produtor e trabalhador rural.

Neste período de crises e incertezas com o preço internacional do café e com a queda de produção prevista por órgãos oficiais na ordem de 10% a 15%, a Cooparaiso se consolida como uma cooperativa forte e atuante, que se fortalece a cada dia e busca fortalecer seus cooperados, promovendo uma cadeia virtuosa de ganhos e benefícios que acabam contribuindo para o desenvolvimento regional, a partir do fortalecimento da cafeicultura e do cafeicultor.

Ao completar 55 anos de fundação, olhando para o idealismo e vanguardismo de seus instituidores, além do pioneirismo de seus gestores ao longo dos anos, temos a certeza de que a Cooparaiso será a cada dia mais forte e próxima do cooperado, buscando sempre o reconhecimento de um trabalho árduo, desgastante, de incertezas e inseguranças que é a cafeicultura.

Fonte: Cooparaiso