Contra Helicoverpa: “Benzoato é essencial”, diz ministro da Agricultura

17/06/2014

Ao embasar seu pedido de liberação do benzoato de emamectina, concedido pelo desembargador federal Jirair Aram Meguerian, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, o ministro da Agricultura, Neri Geller, sustentou a necessidade da utilização da substância.

“Dependendo do estágio de infestação da praga na lavoura, o benzoato é essencial. Há situações onde é preciso maior controle, quando o uso da substância mostra-se como a melhor alternativa. As ações do Mapa são para assegurar uma produção agrícola forte, mas preocupadas com a saúde pública e o meio ambiente”, explicou Geller.

Para o gerente técnico da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), Nery Ribas, a decisão da Justiça pode diminuir os prejuízos da última safra. Segundo ele, o benzoato de emamectina é mais uma alternativa para a execução do MIP:  “Os produtos utilizados até o momento eram muito caros. Além disso, poderiam perder eficiência com o uso contínuo”.

Opinião semelhante tem Júlio César Busato, presidente da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba): “É muito importante para o combate a essa praga. É usado em toda a Europa, no Japão, nos Estados Unidos. O produto até hoje ainda está apreendido aqui no oeste da Bahia”.

O dirigente alerta para um perigo: “Existem apenas dois grupos de inseticidas que controlam essa praga. Se nós usarmos muito, ela vai ficar resistente, e nós vamos perder. Esse produto [Benzoato de Emamectina] é mais um grupo de defensivos que é extremamente necessário”, alerta ele.

Fonte: Agrolink
Autor: Leonardo Gottems