Pecuária

Consumo global de carne destrói cerrado brasileiro, diz WWF

06/10/2017

Um maior apetite pelo consumo de carne estaria contribuindo pela destruição de enormes pastagens arborizadas na América do Sul, especialmente no Brasil, segundo a organização ambientalista radicada em Londres. Um comunicado da organização enviado ao jornal The Guardian diz que o Cerrado, a savana que corresponde a um quinto do território brasileiro, está sofrendo com o desmatamento em função da expansão das áreas de soja, que servem para alimentar animais.

A WWF chega a culpar as atividades de agricultura e criação de gado por 50% do desmatamento do Cerrado. Para os ativistas da ONG, a diversidade da vegetação brasileira estaria ameaçada em função da expansão da cultura da soja.

“O Cerrado é uma área grande, tão grande como a França, Alemanha, Itália, Espanha e o Reino Unido juntos. É importante globalmente em termos de biodiversidades e armazenamento de dióxido de carbono, mas não recebe a devida atenção da comunidade internacional,” afirmou Caroline Spelman, secretária de Ambiente do Reino Unido depois de visitar a região brasileira.

A reportagem do Guardian também entrevistou habitantes do Cerrado que estariam sofrendo com o uso de agroquímicos na região. De acordo José Correia Quintal, gerente de uma cooperativa na região, os rios do Cerrado estariam sendo poluídos e o uso de ervas medicinais estaria ameaçado.

O jornal ainda destaca que não há “um prêmio” para os produtores com práticas ambientais mais sustentáveis e que será um desafio atender a meta das Nações Unidas de preservar 14% do Cerrado.

Fonte: Agrolink