Curiosidades

Consumidores vão ajudar a testar sorvete de gabiroba

06/02/2017

No sábado, 04/02, frequentadores do Mercado Municipal de Curitiba poderão participar de um teste de degustação e aceitação de sorvete de gabiroba. A partir das 10h, os cem primeiros consumidores que concordarem em participar vão receber uma amostra e responder a um questionário que vai avaliar o quanto os consumidores aceitam o produto e qual a intenção de compra a partir da degustação. O teste é promovido pela Embrapa Florestas em parceria com a Sorveteria Quebra Gelo, Faculdades Pequeno Príncipe e Mercado Municipal de Curitiba.

“As empresas investem cada vez mais em sorvetes sofisticados, incluindo sabores exóticos e pouco comuns”, explica a pesquisadora Rossana Catie Bueno de Godoy, da Embrapa Florestas. “No Brasil, já existem sorveterias que incluem frutas nativas nos produtos oferecidos aos consumidores e o teste com a gabiroba caminha nesse sentido”, completa. As frutas nativas estão cada vez mais presentes na alimentação do brasileiro, em especial devido ao valor nutricional e gostos exóticos. “Sorvetes são excelentes opções para aproveitamento de polpas. No entanto, é necessário saber o potencial de aceitabilidade desses produtos antes de incentivar o consumo das polpas”, explica a pesquisadora.

A gabiroba é uma fruta nativa, de cor “amarelo intenso”, que vem sendo estudada pela Embrapa Florestas com resultados promissores, pois apresenta considerável valor nutricional e um sabor exótico e picante. Possui altos teores de vitamina C, carotenoides, e sua polpa pode ser amplamente empregada na elaboração de geleias, doces, sucos, licores e sorvetes. Apesar de todos estes atributos, este potencial da gabiroba ainda é pouco conhecido. O trabalho de pesquisa já desenvolveu geleia e até mesmo cookies para celíacos, em parceria com a UFPR. “Agora é o sorvete que está em pauta, pois o mercado é amplo e aberto a novos investimentos”, ressalta Catie.

O teste de aceitação do sorvete de gabiroba junto a consumidores vai seguir protocolos científicos e os resultados serão repassados a segmentos de interesse. “Nossa intenção é que pequenas comunidades utilizem essa fruta como um potencial para incremento de renda”, completa Catie.

Serviço:
Data: 04/02/2017 – sábado
Horário: 10h
Local: Arena do Mercado Municipal de Curitiba
Participantes: consumidores e visitantes do Mercado Municipal

Fonte: Embrapa