Notícias

Conselho Nacional do Café realizou assembleia na Casa do Cooperativismo

Hoje, em Brasília, integrantes do Conselho se reuniram para definir as próximas estratégias do organismo, considerando o atual cenário político-econômico

Brasília (29/1) – Representantes do Conselho Nacional do Café (CNC) se reuniram hoje, na sede do Sistema OCB, em Brasília, para discutir as atividades prioritárias para este ano e, também, para realizar a sua Assembleia Geral Ordinária e a reunião do Conselho Diretor do CNC. O presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, participou de parte do evento e, após saudar a presença dos representantes da cadeia produtiva do grão, disse que o cenário político-econômico atual exige cautela do setor.

“Todos os setores da economia estão vivendo certo grau de tensão. Cabe a nós, aproveitar o momento e encontrar oportunidades de desenvolvimento. Para isso, é necessário estreitarmos nossos canais de diálogo com a nova conformação do governo federal”, comenta o presidente Márcio Freitas.

CLIMA – Duas palestras também marcaram a reunião. A primeira, realizada na parte da manhã versou sobre o efeito climático nas principais regiões produtoras de café, ministrada pelo vice-presidente da Organização Meteorológica Mundial, Antonio Divino Moura, também presidente do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET).

AGREGAÇÃO DE VALOR – À tarde, os conselheiros acompanharam a explanação sobre o trabalho encomendado pelo Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC) para a agregação de valor ao café, focada na sistematização de políticas públicas estratégicas de negócio para as indústrias do grão. Rita de Cássia Milagres, coordenadora geral de Agronegócios do MDIC, e André Sorio, da Sorio Assessoria Empresarial Rural, foram os expositores do assunto.

RANKING – Segundo o CNC, o Brasil é o maior produtor e exportador mundial de café e ocupa a segunda posição no ranking do consumo global, atrás apenas dos EUA. Apesar da vitalidade da cafeicultura nacional, o setor está sujeito às oscilações de preço e foi diretamente impactado pela crise atual.

Fonte: OCB