Sanitário

Conhecendo seus animais

Por: Bruna Alessandra Cruz – Médica Veterinária da Copercampos

Saber o que seus animais estão comendo, não irá apenas resultar em benefícios na realização de uma dieta balanceada, esta alternativa se faz viável para equilibrar o custo da dieta com o retorno que a mesma proporciona, e se esta medida está resultando em lucros para propriedade. De nada adianta possuir os melhores alimentos, os melhores animais e não saber como usá-los para maximizar os rendimentos. Se tratando de vacas leiteiras a dieta é o fator mais importante do custo da produção de leite, por essas razões deve se evitar o desperdício, e otimizar ao máximo a relação custo benefício garantindo o sucesso da atividade. Tudo que as vacas comem interfere diretamente na quantidade e na qualidade do produto final que é o leite, por essa razão é essencial saber o que os seus animais estão comendo. Existem três pilares dentro de uma dieta, que precisam estar em sintonia: a dieta que o nutricionista sugeriu, a dieta que o tratador realizou e por último a dieta que a vaca ingeriu, essas três dietas precisam estar próximas para poder expressar todo potencial produtivo do rebanho. Um litro de leite é constituído de aproximadamente 87% de água, as vacas bebem cerca de 4 litros de água para cada 1 litro de leite produzido, no verão esse consumo pode dobrar, os animais devem ter acesso livre a água potável 24 horas por dia. Alguns estudos demonstram que vacas que tem acesso a água 24 horas por dia produzem de 4% a 5% a mais de leite que aquelas que tiveram acesso a água 2 vezes ao dia, e 6% a 11% a mais do que as que tiveram acesso a água 1 vez ao dia. Proporcionar condições adequadas para o bom pastejo é indispensável, as vacas de leite comem nas horas mais frescas do dia ou a noite, elas evitam situações estressantes como ambientes muito quentes e barulhentos. Além do gasto calórico utilizado para produção de leite, as vacas ainda precisam disponibilizar energia para se manter, como por exemplo durante o trajeto da pastagem para sala de ordenha e vice versa, toda essa energia poderia ser utilizada para produção de leite, por essa razão essa medida se faz tão importante. Fornece um concentrado de alta energia e boa qualidade garante um bom desempenho do rebanho. As vacas passam em média 8 horas do seu dia pastejando, 8 horas são dedicadas a ruminação e as outras 8 são destinadas para o descanso. Outro fator importante dentro de uma propriedade de leite, são os 21 dias que antecedem o parto, esses dias podem determinar a qualidade de toda lactação da vaca. Se faz necessário tomar algumas medidas nutricionais durante esse momento, como o uso de ração ou sal que deve ser especifico para o período pré-parto, pois caso contrário pode gerar algumas perdas aos animais, exemplo disso é o uso de sal comum ou sal mineral não especifico para período os mesmos contém uma quantidade de cloreto de sódio que pode desenvolver o edema de úbere, uma restrição no consumo de tais sais, pode diminuir esta ocorrência. O edema de úbere causa redução na produção de leite e pode causar estiramento nos ligamentos do úbere. Conhecer os animais e entender os sinais que eles transmitem pode melhorar a produção do rebanho. Calcular quanto do investimento está sendo revertido em lucro, e gerenciar a propriedade são as chaves dos produtores de sucesso. Amigo produtor de leite A Copercampos conta com assistência técnica especializada em nutrição para seu rebanho. Para conhecer como funciona o projeto, os produtores interessados devem entrar em contato com a Médica Veterinária da Copercampos Bruna Alessandra Cruz ou com o Assessor Comercial da Industria de Rações, Vinicius e Sá.

Fonte: Jornal Copercampos – Julho/2015