Custo de Produção

Conab inicia levantamento de custo de produção da borracha

Produtores baianos de borracha natural participaram de reunião com três representantes da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e Ceplac que recolheu informações sobre custo de produção no estado para fixação de programas de garantia de preço mínimo do Governo Federal, em 2010, e definição de políticas públicas para o setor. O evento aconteceu nesta sexta-feira, 11, no Centro de Treinamento da Superintendência da Ceplac na Bahia, quando também se debateu a aplicação do Programa de Escoamento da Produção (PEP).

Com 20 mil hectares de seringueira em sangria e uma produção anual de 14 mil toneladas de borracha seca, a Bahia tem seringais com produtividade média de 700 kg de borracha seca/hectare/ano. Estudo apresentado pelo pesquisador Adonias Castro Filho, chefe do Centro de Pesquisas do Cacau da Ceplac (Cepec), aponta que o número médio de plantas em sangria é de 380 por hectare, com produtividade média por árvore de 1,84kg de borracha seca ou 3,22 de coágulo (DRC 57%).

Para Adonias Castro Filho, a composição do preço nacional da borracha natural é antiga reivindicação dos heveicultores que enfrentam realidades diferenciadas no País, particularmente na Bahia, onde a seringueira é cultivada no Baixo Sul, entre Valença e Ituberá; Centro, entre Maraú e Ilhéus; Una e Extremo-Sul. “Os seringais de Una são os mais antigos do estado, implantados entre as décadas de 50 e 70 e também há parcela de seringais de Ituberá. Os seringais mais jovens estão no Extremo-Sul e, em função da idade e materiais genéticos têm produtividade superior, o que altera profundamente a realidade de custos de produção”, comentou, destacando que isto foi analisado no encontro.

O analista de mercado da borracha natural da Conab Humberto Lobo Penacchio informou que o levantamento de custos de produção da heveicultura abrangerá inicialmente os estados do Espírito Santo, Bahia, Mato Grosso e São Paulo. “Com base nas informações recolhidas nestas reuniões com produtores esperamos concluir o trabalho até o mês de outubro, com a fixação de custo de produção no Brasil’, comentou, acrescentando que se terá importante ferramenta para definição de política pública para a seringueira.

A pesquisadora e professora do Departamento de Economia da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), Patrícia Rosado, louvou a iniciativa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, através da Conab, já que vê a necessidade de políticas de incentivo, porque a produção de borracha natural é um setor importante do ponto de vista econômico, social e ambiental. “Também sou favorável a aplicação do mecanismo de seqüestro de carbono como forma de renda adicional ao produtor”, comentou, destacando que, com mais recursos poderão ser estimulados avanços tecnológicos e o desenvolvimento de algumas regiões produtoras de seringueira no estado.

Fonte: http://www.iteb.org.br/cms/index.php?view=article&catid=46%3Anoticias&id=407%3Aconab-inicia-levantamento-de-custo-de-producao-da-borracha&tmpl=component&print=1&page=&option=com_content&Itemid=1