Tire suas Duvidas

Como se obter sucesso na criação e manutenção dos alevinos de Disco?

A criação dos alevinos de acarás disco tem sido a parte que traz mais dificuldades para o criador, principalmente depois que são separados dos pais e não têm mais o alimento produzido pelo muco dos genitores. A seguir descrevo o passo a passo que deve ser observado para se obter sucesso na manutenção dos alevinos.

Durante os primeiros dez dias, os alevinos se alimentarão somente do muco segregado pelos pais; neste período crescem bastante.
Recomenda-se que nos primeiros dias de vida dos disquinhos, se mantenha durante a noite uma luz fraca acessa, para evitar que se dispersem.
Geralmente, quando começa a escurecer, os pais amontoam todos os filhotes num local escolhido onde serão vigiados durante a noite.
Após o décimo dia de nascidos os disquinhos poderão receber náuplios de artêmia salina recém-eclodidas. Nesta fase começam a comer mais e conseqüentemente a excretar muito, por isso é aconselhável a sifonagem e troca de parte da água diariamente. Este processo deverá ser efetuado suave e discretamente para não assustar os pais e não sugar os filhotes.
Após quinze dias poderá ser adicionado ao cardápio anterior a enquitréia que será bem aceita nesta fase.
Após vinte dias de nascidos à dieta de nauplios e enquitréia poderá ser adicionado patê ou raspas de coração de boi, gradativamente.
Os alevinos poderão ser separados dos pais a partir do vigésimo dia, embora alguns criadores separam com dez dias e outros acham melhor com trinta dias.
O autor prefere separá-los com trinta dias porque neste período eles ainda estarão se alimentando do muco, porém já estarão comendo alimentos vivos e estas duas modalidades de nutrientes farão com que se tornem mais forte.
Ao transferi-los para outro aquário é conveniente aproveitarmos oitenta por cento da água do aquário dos pais e complementarmos com outra nova observando os mesmos parâmetros físicos químicos.
O aquário para esta fase não precisará ser muito grande, sessenta a setenta litros serão suficientes; desta forma evitaremos que a alimentação se disperse e facilitaremos o processo de limpeza que deverá ser diário.

Fonte:

Autor: Wilson Vianna – Biólogo – pós-grad, Biol. Marinha

Fonte: Fórum Grupo Amigos do Betta (17.06.09)

www.peixesornamentais.info