Tire suas Duvidas

Como são classificados os alimentos pela (AAFCO) e pela (NRC)?

Os alimentos são classificados de acordo com a Associação Americana Oficial de Controle de Alimentos (AAFCO) e o Conselho Nacional de Pesquisas dos EUA (NRC) e adaptada por F.B. MORRISON:

  • Alimentos volumosos – são aqueles alimentos de baixo teor energético, com altos teores em fibra ou em água. Possuem menos de 60% de NDT e ou mais de 18% de fibra bruta (FB) e podem ser divididos em secos e úmidos. São os de mais baixo custo na propriedade. Os mais usados para os bovinos de corte são as pastagens naturais ou artificiais (braquiárias e panicuns em sua maioria), capineiras (capim elefante), silagens (capim, milho, sorgo), cana-de-açúcar, bagaço de cana hidrolisado; entre os menos usados estão: milheto, fenos de gramíneas, silagem de girassol, palhadas de culturas, etc.
  • Alimentos concentrados – são aqueles com alto teor de energia, mais de 60% de NDT, menos de 18% de FB, sendo divididos em:
    • Energético: alimentos concentrados com menos de 20% de proteína bruta (PB); origem vegetal – milho, sorgo, trigo, arroz, melaço, polpa cítrica; origem animal – sebos e gordura animal;
    • Protéicos: alimentos concentrados com mais de 20% de PB; origem vegetal – farelo de soja, farelo de algodão, farelo de girassol, soja grão, farelo de amendoim, caroço de algodão, cama de frango -; origem animal – farinha de sangue, de peixe, carne e ossos (sendo esta última atualmente proibida pelo Ministério Agricultura para uso em ruminantes).
  • Minerais – compostos de minerais usados na alimentação animal: fosfato bicálcico, calcário, sal comum, sulfato de cobre, sulfato de zinco, óxido de magnésio, etc.
  • Vitaminas – compostas das vitaminas lipossolúveis e hidrossolúveis;
  • Aditivos – compostos de substâncias como antibióticos, hormônios, probióticos, antioxidante, corantes, etc.
  • Outros alimentos – aqueles que não se classificam nos itens anteriores (TEIXEIRA, 1998; MELLO, 1999).

 

Fabiano Alvim Barbosa – Médico Veterinário, Mestre em Zootecnia/Nutrição de Ruminantes, Doutorando – Produção Animal da Escola de Veterinária/UFMG – junho/2004.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

GOMIDE, J.A. Potencial das pastagens tropicais para a produção de carne e leite. In: Simpósio de Brasilândia, p. 15-40, Brasilândia de Minas. Anais…, 1999

GONÇALVES, L.C., BORGES, I. Alimentos e alimentação de gado de leite. Escola Veterinária UFMG, Belo Horizonte, 45 p.,1997.

LANA, R.P. Sistema Viçosa de formulação de rações. Viçosa: UFV, 60 p., 2000.

MELLO, A.O. A. Alternativas de alimentação para engorda intensiva. Cad. Téc. Vet. Zootc., n.29, p.13-22, Belo Horizonte, 1999.

NATIONAL RESEARCH COUNCIL. Nutrient Requeriments of Beef Cattle. Washington, D.C. National Academy of Sciences, 7 ed., 242 p., 1996.

SANTOS, R.L. Efeitos do gossipol sobre a reprodução. Cad. Téc. Esc.Vet.UFMG, n.21, p.73-82, Belo Horizonte, 1997.

TEIXEIRA, A.S. Alimentos e alimentação dos animais. Lavras, UFLA – FAEPE, 402 p., 1998.

TEIXEIRA, J.C., EVANGELISTA, A.R., ALQUERES, M.M. et al. Utilização da Amiréia 150S como suplemento nitrogenado para bovinos em sistema de pastejo. In : XXXV Reunião Anual da S.B.Z.Botucatu, v.1, p.482-483, Anais…, 1998.

TEIXEIRA, J.C. Alimentação de bovinos leiteiros. Lavras, UFLA – FAEPE, 267 p., 1997.

VALADARES FILHO, S.C, PAULINO, P.V.R., MAGALHÃES, K.A., PAULINO, M.F. Modelos nutricionais alternativos para otimização de renda na produção de bovinos de corte. In: III Simcorte, Viçosa, Anais… p.197-254, 2002.

Fonte: http://www.agronomia.com.br/conteudo/artigos/artigos_nutricao_bovinos.htm