Notícias

Com Ração Cocamar, propriedade em Sabáudia incrementa produção

01/12/2014

O município de Sabáudia, norte do Estado, não integra nenhuma bacia leiteira, mas foi ali, a 80 quilômetros de Maringá, que o produtor Euclenio Vendrametto Júnior estruturou-se para atuar na atividade. Zootecnista, ele possui 20 alqueires onde mantém 70 cabeças de um rebanho de holandesas preto e branco que inclui algumas mestiças de sangue Jersey.

São 23 animais em lactação, mas o produtor comenta que pretende ampliar esse número para 45 ou 50 no próximo ano. Contando com dois funcionários e a assessoria de um médico-veterinário, ele adota o sistema em que as vacas permanecem confinadas a maior parte do dia, sendo ao final da tarde soltas no pasto, onde passam a noite.

MÉDIAS – A produtividade leiteira vem evoluindo, segundo o proprietário. De acordo com o controle oficial realizado pela Associação Paranaense se Criadores de Bovinos da Raça Holandesa (APCBRH), o desempenho de um lote com dez de suas melhores vacas apontou, recentemente, para uma média de 34 quilos/dia. Além de pastagem, o gado se alimenta de silagem de milho reforçada de polpa cítrica e ração concentrada.

A silagem é produzida com o volume obtido em cinco alqueires de milho e um de soja, na propriedade, enquanto a polpa cítrica provém da indústria de suco da cooperativa Corol, em Rolândia, a 37 quilômetros. Já a ração, fornecida desde o início de outubro pela Cocamar, é composta de milho, farelo de soja e de trigo, com 22% de proteína.

PRODUTIVIDADE – Segundo Vendrametto, o bom manejo da pecuária de leite é fundamental para que os resultados sejam os esperados, mas ele deixa claro: por experiência própria, uma ração adequada ajuda a potencializar a produtividade. Depois de anos habituado a uma outra marca, o produtor conta que conversou com o técnico Ailton Demito e resolveu experimentar a Ração Concentrada 22 Top, adquirida a granel da Cocamar. Já no primeiro mês de uso, em outubro, com as vacas recebendo o mesmo trato de antes, ele verificou que a média de produção ficou em 667 quilos/dia, 46 a mais em comparação aos 621 quilos/dia obtidos em setembro. “Olhando assim, pode parecer pouco, mas com esse adicional, que representa 1.380 quilos a mais no mês, é possível custear a maior parte das despesas com um funcionário”, afirma. No geral, acrescenta, a média de produtividade por animal em outubro foi de 29 quilos/dia, ante 27 no mês anterior. (Flamma)

Fonte: Cocamar