Pecuária

Clima quente e seco eleva preços do café, boi, milho e ovos

11/02/2014

 

O clima quente e seco tem prejudicado a maioria das lavouras na parte do Centro-Sul do Brasil. Consequentemente, os preços de culturas como café, boi, milho e ovos também já estão sendo reajustados. O alerta é do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP. 

As condições climáticas desfavoráveis devem reduzir a produtividade do café arábica. Desde o início deste ano, o indicador do café arábica já subiu 19%, ou R$ 54 reais/saca, fechando a R$ 341,16/saca de 60 kg.

A falta de chuva e o forte calor também prejudicam o desenvolvimento das pastagens, dificultando a engorda de bois que seriam abatidos neste início de 2014. Com isso, a média do boi gordo, em janeiro, foi de R$ 114,16, com alta de 17% referente ao ano passado.

O clima adverso em parte de São Paulo, Mato Grosso do Sul e Paraná tem reduzido o ritmo de plantio da segunda safra de milho. Esse cenário, combinado às altas nos preços externos do grão e à valorização do dólar frente ao Real, tem elevado às cotações domésticas na média das regiões acompanhadas pelo Cepea. Somente em fevereiro (até dia 10) o Indicador do milho ESALQ/BM&FBovespa (região de Campinas-SP) teve avanço de 6,45%, fechando a R$ 28,37/saca de 60 kg na segunda-feira.

A produção de ovos também está prejudicada e devido às altas temperaturas estão elevando o índice de mortalidade das galinhas, reduzindo assim, a oferta de ovos. De 3 a 10 de fevereiro, as cotações do ovo tipo extra, branco, chegaram a subir 10,9% na Grande São Paulo, com a média da caixa com 30 dúzias passando para R$ 56,53 na segunda-feira (10.02). No mesmo período, os preços dos ovos tipo extra, vermelho, aumentaram 18,3% também na Grande São Paulo, a R$ 68,43 a caixa com 30 dúzias.

Fonte: Agrolink