Soja

Clima permite ao Tocantins cultivar soja em vazio sanitário

27/05/2014

Um dos poucos locais autorizados a cultivar soja durante a entressafra, o Tocantins, em 2014, deverá se tornar um importante fornecedor de semente da oleaginosa tanto para cultivo, quanto para pesquisa. Com características climáticas favoráveis e acompanhamento da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), o Tocantins se tornou apto a produzir o grão em um período conhecido como vazio sanitário, determinado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para evitar o contágio das lavouras por uma praga conhecida como Ferrugem Asiática da Soja, causada pelo fundo Phakopsora pachyrhizie.

De acordo com o diretor de Defesa, Inspeção e Sanidade Vegetal da Adapec, Luís Henrique Michelin, todas as lavouras de soja, cultivadas no Tocantins em uma região conhecida como Planícies Tropicais (entre os municípios de Formoso do Araguaia e Lagoa da Confusão), passam por um minucioso acompanhamento da agência, no sentido de garantir que não haja casos de Ferrugem Asiática. “Com características de subirrigação e um clima com umidade quase desértica, nós temos a região das Planícies Tropicais, onde percebemos a possibilidade de produzir soja sob um rigoroso controle sanitário e segurança de produção junto ao Ministério”, completou.

Uma portaria do Ministério da Agricultura permite ao Tocantins o plantio de soja durante o vazio sanitário apenas para a produção de sementes e para a pesquisa. Desta forma, aliando esta autorização a características extraordinárias de chuvas na safra 2012/2013, que prejudicou a sojicultura, a expectativa é que a área plantada e o volume de produção sejam melhores do que os da safra anterior. “No ano passado, tivermos uma média de 42 mil hectares de área plantada e 126 mil toneladas de soja produzidas. Para este ano esperamos aumentar um pouco estes números e suprir a demanda tanto por semente, quanto para pesquisa em todo o Brasil”, explicou Michelin.

Durante o mês de maio, conforme o diretor da Adapec, os produtores estão em fase de plantio da oleaginosa para que ela seja colhida pouco antes do início da safra oficial. A soja colhida durante o período de entressafra é vendida como semente para produtores do Brasil inteiro plantarem durante o período liberado para a safra pelo Mapa.

De acordo com o produtor Josimar Spinardi da Rosa, a autorização de cultivo do grão durante o vazio sanitário possibilita a produção de uma semente de alta qualidade justamente pelo clima seco que dificulta a contaminação da lavoura com a Ferrugem Asiática, ou com outra praga conhecida como mofo branco. “Esta época é muito importante porque a nossa soja é 100% para a semente e, como não temos grande incidência de chuvas, conseguimos produzir um grão de alta qualidade”, pontuou.

Fonte: Governo do Estado do Tocantins
Autor: Philipe Bastos