Laranja

CitrusBR defende pacto pela citricultura

22/10/13
Em audiência publica realizada na Assembleia Legislativa de São Paulo, durante a tarde desta terça-feira, 22 de outubro, a Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos, CitrusBR, voltou a defender a necessidade da união da cadeia produtiva da laranja para solucionar os problemas enfrentados pelo setor.

Durante a audiência, que contou com a presença das principais lideranças da cadeia citrícola e teve como objetivo debater o cenário atual da atividade, o diretor-executivo da CitrusBR, Ibiapaba Netto ressaltou que o mercado enfrenta uma crise de consumo da bebida, que vem gerando problemas para todos os elos. Em sua apresentação, o executivo apresentou dados divulgados pela Nielsen, que mostram que as vendas de suco de laranja no varejo americano somaram 563,2 milhões de galões de suco no ciclo encerrado em 28 de setembro. Trata-se do menor nível dos últimos 15 anos. Esse não é um cenário isolado. Uma pesquisa feita pela empresa Markestrat, com dados da Tetrapak e Euromonitor, demonstrou que de 2003 a 2012 o consumo global de suco de laranja recuou 12,3%. “Nesse período, sumiram do mercado cerca de 1 milhão de toneladas de suco, equivalente a um ano de consumo ou a 330 milhões de caixas de laranja que deixaram de ser exportados na forma de suco”, explica Netto.

O diretor-executivo voltou a fazer um apelo para que seja feito um pacto pela citricultura, com união de cadeia para enfrentar os desafios. “É um momento delicado para o mercado global de suco. Precisamos iniciar um diálogo que vise solucionar os problemas atuais e que ajude a encontrar soluções que garantam o futuro da citricultura”.

Ibiapaba ainda chamou atenção para os últimos dados publicados pela Nielsen, que indicam que as vendas da bebida no varejo dos EUA atingiram o menor patamar dos últimos 15 anos. “Estamos buscando soluções, trabalhando projeto de comunicação e marketing para tentar reverter esse quadro, mas sem a participação de toda a cadeia, essa tarefa fica ainda mais complicada”, alertou.

 

Fonte: Agrolink