Citros: Oferta reduzida sustenta preços da laranja; tahiti se desvaloriza

Publicado em 22/06/2018

Os preços da laranja têm se sustentado no mercado doméstico, devido à menor oferta de frutas no estágio de maturação demandado pelo mercado in natura – que tiveram o ciclo de desenvolvimento atrasado nos primeiros meses deste ano. Além disso, segundo colaboradores do Cepea, a demanda industrial já está se intensificando, enxugando a oferta no mercado de mesa paulista. Na parcial desta semana (segunda a quinta-feira), a laranja pera teve preço médio de R$ 26,29/cx de 40,8 kg, na árvore, leve alta de 0,4% frente à média da semana anterior. Já para a lima ácida tahiti, a maior disponibilidade, associada à menor procura, tem impedido reação dos preços. Nesse cenário, relatos indicam que produtores podem interromper novamente a colheita da variedade, para impulsionar os valores. A preocupação, porém, é com uma possível perda de qualidade, tendo em vista que a colheita de tahiti já não tem sido intensa. Na parcial desta semana, o valor médio de comercialização da variedade no mercado nacional foi de R$ 24,43/cx de 27 kg, colhida, queda de 17,2% em relação ao da semana passada.

Fonte: Cepea