Pecuária

Carnes: Oferta supre a demanda e preços aos produtores estão pressionados

Publicado em 29/06/2017

Boi: Boa oferta e escalas alongadas

Por Scot Consultoria

O cenário ainda é de pressão de baixa para o mercado do boi gordo e as tentativas de compra abaixo da referência são comuns em boa parte das praças pesquisadas.

Das trinta e duas praças pesquisadas pela Scot Consultoria, ocorreram quedas em dez para o preço da arroba do boi gordo.

A boa oferta de animais terminados colabora para este cenário.

Em São Paulo, a arroba do macho terminado ficou cotada em R$ 127,50, à vista, livre de Funrural. Apesar da estabilidade frente ao último fechamento, em relação ao início do mês os preços estão 3,4% menores.

No estado são observadas tentativas de compra até R$ 2,00/@ abaixo da referência. Entretanto, nesse patamar os negócios travam.

No mercado atacadista de carne com osso, o boi casado de animais castrados está cotado em R$ 8,90/kg.

Suíno vivo: Desequilíbrio entre oferta e demanda traz prejuízo aos produtores

Por Larissa Albuquerque

As vendas estão ruins de carne suína, com a entrada da segunda quinzena do mês, tem provocado quedas generalizadas no mercado independente e na integração.

Além do tradicional período de menor venda, os brasileiros estão consumindo menos carne suína em 2017 porque a competitividade frente às outras proteínas está acirrado.

O presidente da APCS (Associação Paulista dos Criadores de Suínos), Valdomiro Ferreira, também destaque que “o mercado de carne suína sofre os efeitos macroeconômicos do país, ao mesmo tempo, a questão da carne bovina leia-se: JBS estão impactando diretamente na oferta, demanda e conseqüentemente nos preços”.

Para o analista de Safras & Mercado, Allan Maia, é difícil vislumbrar uma melhora nas cotações até o final do mês, pois o setor segue operando com excedentes de oferta interna.

As agroindústrias e cooperativas incentivam os produtores para aumentarem seus planteis. “Há suinocultores financiando R$ 6 milhões, sem garantia de rentabilidade, mesmo com a existência da Lei da Integração”, relata o presidente da ACCS (Associação Catarinense dos Criadores de Suínos), Losivanio de Lorenzi.

Somado a isso, a dificuldade de escoamento na produção faz parte das integradoras ofertarem lotes no mercado independente, elevando ainda mais o percentual de oferta.

Frango vivo: Cotações ficam estáveis nesta 4ª feira

Por Larissa Albuquerque

As cotações do frango vivo fecharam estáveis nesta quarta-feira (28). Na segunda, porém, após ficam mais de 15 dias sem movimentação, a cotação caiu R$ 0,10 em Minas Gerais, ficando em R$ 2,10/kg. Em São Paulo a cotação permanece em R$ 2,50/kg.

Até o final desta semana nova baixas não estão descartadas, já que estamos na segunda quinzena do mês e o apelo por consumo é menor.

Segundo pesquisadores do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), “agentes têm buscado ajustar a oferta à demanda, estratégia favorecida pelo ciclo de produção mais curto. Isso não chega a dar suporte ou permitir alta significativa nos preços, mas tem ajudado a conter as quedas”.

O custo de produção mais baixo neste ano frente ao anterior é um alento ao produtor neste momento, muito embora o ambiente ainda seja de preocupação, uma vez que a exportação fraca prejudica a formação de receitas para o setor.

Fonte: Notícias Agrícolas + Scot