Suinos

Carnes: apenas avicultura exporta mais que no 1º semestre de 2014

10/07/15

Levantamento efetuado pelo Ministério da Agricultura junto à SECEX/MDIC aponta que no primeiro semestre de 2015 apenas as carnes avícolas apresentaram aumento no volume exportado. O da carne de frango aumentou 2,6%, enquanto o da carne de peru registrou incremento de 7,78%. Já as carnes bovina e suína enfrentaram decréscimo de volume de, respectivamente, 15,95% e 5,16%, o que afetou o volume global embarcado, 3,17% menor.

Reflexo não só da crise econômica mundial, mas também da valorização interna do dólar (quase 30% no 1º semestre deste ano em relação ao mesmo período de 2014), o preço médio das quatro carnes sofreu generalizada redução. Como em toda regra, houve uma exceção, a da carne bovina industrializada, cujo preço médio no semestre aumentou perto de 4,5%. Mas isso foi uma gota num oceano, pois, de forma geral, o preço médio do semestre recuou 12,11% em relação ao mesmo semestre de 2014.

Queda no volume e queda no preço médio só pode resultar, claro, em recuo da receita cambial. E, aqui, as perdas menores ficaram novamente com a avicultura já que, frente à redução de 21,85% na receita da carne suína e de 20,09% na da carne bovina, a receita cambial da carne de frango foi 9,14% menor, enquanto a da carne de peru recuou 7,64%. Mas as perdas menores não evitaram que a receita cambial das carnes apresentasse, no semestre, forte retração, próxima de 15%.

O melhor desempenho da avicultura nas exportações fez com que o setor aumentasse sua participação na receita cambial das carnes. No primeiro semestre de 2014, as carnes de frango e de peru responderam por 47,63% da receita total do setor; neste ano, mesmo período, essa participação subiu para 50,89%.